PUBLICIDADE
Topo

Caso Daniel

Caso Daniel: Justiça do Paraná decide que Cris Brittes vai a júri popular

Cristiana Brittes em entrevista ao SBT - Reprodução/SBT
Cristiana Brittes em entrevista ao SBT Imagem: Reprodução/SBT

Lorena Pelanda

Colaboração para o UOL, em Curitiba

20/05/2021 22h10

O Tribunal de Justiça do Paraná decidiu hoje, por unanimidade, que Cristiana Brittes vai a júri popular pelo homicídio do jogador Daniel Correa, em outubro de 2018. Ela é esposa do empresário Edison Brittes, que confessou ter matado o atleta.

A decisão é dos desembargadores da 1ª Câmara Criminal, em Curitiba. Cristiana vai responder pelos crimes de corrupção de menor e coação do curso do processo. A justiça já havia decidido que Edison Brittes, que assumiu a autoria da morte de Daniel, também será julgado no tribunal. A data dos dois julgamentos ainda não foi definida.

Edison e Cristiana Brittes respondem pelo crime junto com a filha, Allana, e outros quatro réus: David Willian Vollero Silva, Eduardo Henrique Ribeiro da Silva e Ygor King. O processo de Evellyn Brisola Perusso, que responde unicamente por fraude processual, foi desmembrado e os recursos dela serão julgados separados.

No começo deste ano, o Ministério Público do Paraná pediu que Cristiana também vá a júri popular, como o marido.

O advogado da família de Daniel, Nilton Ribeiro, afirma que a condenação de todos os acusados está próxima. "É um alento para a família. Os parentes estavam chateados com a situação e foi feita uma 'correção', com todo respeito, de Cristiana ir para o Tribunal do Júri", disse ao UOL Esporte.

Em pronunciamento à imprensa, o advogado da família Brittes, Claudio Dalledone Junior, afirma que vai recorrer da decisão.

"Respeitamos a decisão do Tribunal, mas iremos recorrer já que contraria a posição do próprio Ministério Público de 2º grau e a pacífica jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça".

Cristiana está em liberdade desde setembro de 2019, um mês depois de a filha, Allana, deixar a prisão após uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). No habeas corpus, a juíza Luciani Regina Martins de Paula considerou Cristiana "inofensiva" e com uma filha menor para cuidar. Edison Brittes segue preso em São José dos Pinhais.

Caso Daniel