PUBLICIDADE
Topo

Atlético-MG

Quem do ataque do Atlético-MG se deu melhor no "vestibular" de Dudamel

Marquinhos, do Atletico-MG, durante o jogo contra o Tombense, pelo Campeonato Mineiro  - Fernando Moreno/Fernando Moreno/AGIF
Marquinhos, do Atletico-MG, durante o jogo contra o Tombense, pelo Campeonato Mineiro Imagem: Fernando Moreno/Fernando Moreno/AGIF

Rafael Serra

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/02/2020 12h00

À procura de reforços para o ataque, o Atlético-MG optou por entrar em campo com reservas no empate com o Tombense, ontem (2), pela quarta rodada do Campeonato Mineiro. Além de garantir as condições físicas de seus titulares para a estreia do Galo na Copa Sul-Americana, Rafael Dudamel também observou melhor as opções ofensivas já existentes no elenco atleticano.

A estreia do reforço Dylan Borrero não chegou a encher os olhos. Ainda que tenha tido lampejos que comprovam seu interessante potencial, a necessidade de amadurecimento técnico e físico ficou evidente do atacante. O jovem colombiano, de apenas 18 anos de idade, ainda precisará percorrer algumas etapas naturais de desenvolvimento para consolidar sua importância no Galo.

Reserva de Di Santo e preterido até mesmo pelo agora lesionado Bruno Silva, Ricardo Oliveira foi outro que não aproveitou o teste de Dudamel. Sem marcar há 11 jogos, o atacante de 39 anos se vê relegado ao segundo plano de um elenco pela primeira vez na carreira.

Hyoran é outro que não tem vaga garantida no time titular do Galo, embora sua entrada no segundo tempo sinalize uma possível titularidade ao menos na partida de quinta-feira (6) contra o Unión Santa Fe, na Argentina. O meio-campista esteve em campo nos últimos 30 minutos de jogo, mas foi bastante participativo, justamente no período em que o Alvinegro esteve melhor durante a partida.

O grande destaque no Independência, entretanto, foi o meia-atacante Marquinhos. Além de marcar um belo gol, o jogador liderou a produção ofensiva do Galo, demonstrando capacidade de improvisação e intensidade física acima da média, ainda mais para um jogador de apenas 20 anos de idade. Levando-se em conta que um dos principais alvos do treinador venezuelano é o santista Yeferson Soteldo, que costuma jogar pelo mesmo setor de Marquinhos, o novato atleticano pode ter ganhado muitos pontos com o chefe na disputa por um posto de titular, concorrendo com Edinho e Cazares.

Além de Soteldo, o Atlético tem como alvo o também venezuelano Jefferson Savarino, do Real Salt Lake, dos Estados Unidos.

Atlético-MG