PUBLICIDADE
Topo

São Paulo

Richarlyson se emociona com "volta" ao São Paulo: "Ficha não cai"

Richarlyson, Cicinho, Lugano e o ex-goleiro Roger ontem (14) em restaurante no Morumbi - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Richarlyson, Cicinho, Lugano e o ex-goleiro Roger ontem (14) em restaurante no Morumbi Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo

15/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Richarlyson foi convidado por Lugano para fazer parte do time de lendas do São Paulo
  • Volante ainda não encerrou a carreira no futebol, mas já segue outros esportes
  • Promessa do ídolo tricolor é por carrinhos e título na Legends Cup
  • Ele quer fazer parte do projeto de forma fixa a partir de hoje (15)

Depois de se chatear por ficar fora da calçada da fama do Morumbi, Richarlyson foi convidado por Diego Lugano para integrar o time de lendas do São Paulo e se sentiu realizado. O volante campeão do mundo e tricampeão brasileiro não esconde a emoção por voltar a representar o Tricolor e promete distribuir carrinhos se for preciso para vencer a Legends Cup hoje (15).

"Eu sou um cara que sempre que posso, e me convidarem, estarei aqui. Foram cinco anos maravilhosos e agora o Lugano realmente me fez reaproximar. Um amigo que fiz, que converso, que encontro. Essa reaproximação foi um presente. Foi um presente, porque tudo o que tenho na vida eu devo ao São Paulo. Tudo começou aqui, títulos, visibilidade mundial. Me sinto um privilegiado de poder voltar a um clube tão grandioso. É um evento de lendas, cara. Eu sou uma lenda do São Paulo, e a ficha às vezes não cai", confessou, antes de completar:

"É impressionante o tanto de carinho que tenho recebido nas redes sociais, me chamando de ídolo, de craque. Não consigo mensurar o que é isso para minha vida. Me sinto lisonjeado. E eu tenho falado com o time que quero ganhar (risos). Os caras do Barcelona estão sequinhos, pô, então não vai ser fácil. Mas eu sempre fui competitivo e vou entrar para ganhar. Agradeço ao Lugano por me dar a oportunidade de vestir de novo esse manto sagrado, essa camisa que me fez tão feliz. É botar bunda no chão, dar carrinho e representar o melhor possível o São Paulo".

Esse será o primeiro compromisso do time "Legends" do São Paulo, criado por Lugano como parte de uma associação para auxílio de ex-atletas. Muricy Ramalho será o técnico no torneio de hoje no Morumbi, que conta ainda com as lendas de Barcelona, Bayern de Munique e Borussia Dortmund. Richarlyson estará em campo a partir das 14h ao lado de outros ídolos, como Müller, Careca, Cicinho e Mineiro. E para ele, será a grande homenagem pela carreira no Tricolor.

"A importância é ser lembrado. E em vida. Não adianta nada uma homenagem para quem já faleceu. Para nós que estamos sendo lembrados, para os que não puderam vir, é motivo de orgulho. O pessoal disse que vai ser uma rotina, querem fazer como os times europeus fazem, levando essas pessoas para outros estados e países. Um time fixo de lendas que possam resgatar as glórias do São Paulo. É um início de algo muito vitorioso. O primeiro de muitos, com a gente todo ano em torneios", projetou.

Richarlyson ainda não se aposentou do futebol. Ele espera propostas interessantes para saber se continua jogando em 2020, mas já tem outros esportes para se manter ativo. Pratica crossfit, joga vôlei em um time masculino e é membro da comissão técnica de uma equipe feminina.

Futuro no futebol

"Tem muita coisa acontecendo. Costumo dizer que deixo a vida me levar e sigo assim. Eu tenho competido no crossfit, uma modalidade que me chamou a atenção e tem tudo a ver comigo por ser desafiadora. Eu sempre quis coisas novas, sempre busquei desafios. E tenho ainda esperado alguma coisa no futebol. Não tenho jogado porque as coisas não aconteceram da forma que eu quero. Tenho uma história tão bacana no futebol, com títulos de expressão, então queria achar algo que me desse prazer. Não quero estar no futebol só por estar. Algumas coisas estão andando e quero deixar o futuro me apresentar as melhores opções. Estou muito feliz com tudo isso e mais ainda com esse convite para poder representar o São Paulo mais uma vez. Tava passando na avenida Giovanni Gronchi [que dá acesso ao Morumbi] e fiquei revivendo tudo o que vivi de 2005 a 2010 e o que tudo isso representa para minha vida. No comecinho de 2020 vocês terão a notícia do que o futuro me apresentará. E com certeza será legal."

Richarlyson e Lugano - Rubens Chiri/saopaulofc.net - Rubens Chiri/saopaulofc.net
Lugano abraça Richarlyson no almoço de lançamento do São Paulo Legends no Morumbi
Imagem: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Raça em campo até no Legends?

"É engraçado, porque muitos querem que eu volte para mostrar pros caras como é ter raça, não ter bola perdida. O futebol mudou um pouco e perdeu um pouco da emoção. A gente sente falta disso, sente falta do craque que dribla e tenta a jogada individual. Me sinto lisonjeado por ser lembrado pela raça e vontade. Já me cobraram carrinho amanhã e com certeza não vai faltar. Os grandes times não são feitos só de grandes craques. Tem sempre o que vibra. E amanhã tem o Richarlyson de sempre."

Ser ídolo do São Paulo

"A ficha não cai às vezes. Em um evento desse de grande porte, com grandes talentos que ganharam tudo, eu não consigo mensurar o que é isso. Essa gratidão fica tão maior para minha família, primos, pais do que para mim mesmo. O que mais sinto alegria é encontrar os amigos. Amanhã vai voltar tudo à tona, de cobrança e responsabilidade. Se estou aqui é porque representei e represento muito bem a instituição do São Paulo. A reciprocidade sempre existiu."

Frustração por não ter se firmado na Europa? Que nada!

"Em 2007, tiveram várias propostas. Mas eu tinha uma identidade tão grande com o São Paulo que nada do que eu olhava na Europa me atraía. Eu via que o melhor caminho era continuar minha história aqui. E não me arrependo de nada. Fiz minha história e continuei fazendo. Quatro títulos em cinco anos, com três Brasileirões consecutivos, algo que nenhum outro time conseguiu. Será que se eu tivesse ido para a Europa eu teria esse êxito? Eu fico muito feliz de ter tomado essa decisão. Não falta nada para mim. Cheguei à seleção pelo São Paulo e representar minha pátria era um grande sonho. Mas chegar aqui de novo para representar o São Paulo não tem Europa que compre."

Resolve aí, Muricy: onde Richarlyson vai jogar no time de lendas?

"Vish, vocês perguntam para o Muricy. Eu sempre fui coringa, então isso não vai mudar. Vou cobrir o Lugano, que está fora de forma (risos). Brincadeira! Ou no meio com o Mineiro e o Josué. Eu vou onde precisar, não paro nunca. Sou esportista nato. Quero retribuir todo o carinho desse projeto e ser campeão de novo."

São Paulo