PUBLICIDADE
Topo

Futebol


Grêmio de 2003 vira espelho para Adilson repetir façanha e salvar Cruzeiro

Treinador tem tarefa complicada e se apega ao sucesso que teve ao comandar outro clube do coração - Bruno Haddad/Cruzeiro
Treinador tem tarefa complicada e se apega ao sucesso que teve ao comandar outro clube do coração Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

05/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • Ídolo do Grêmio, Adilson Batista evitou o rebaixamento no centenário do clube gaúcho
  • Apesar do pouco tempo, técnico se inspira na temporada de 2003 para salvar o Cruzeiro
  • Há 16 anos, Adilson teve 19 jogos para tirar o Grêmio do Z-2, na época
  • 'Jogo da vida' do Cruzeiro será justamente contra o Grêmio, em Porto Alegre
  • Precisando de algum fato novo, técnico celeste deve mudar a equipe

Vivendo a maior crise da sua história, o Cruzeiro corre o risco de presenciar seu primeiro rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Precisando vencer o Grêmio, às 19h15 (de Brasília) de hoje (5), e voltar a depender apenas de si para se livrar da queda (já que o Corinthians vencer o Ceará), torcida, jogadores e o técnico Adilson Batista se apegam a qualquer coisa que ajude o time a se motivar para a partida decisiva. Uma delas é uma reviravolta que Adilson conseguiu justamente no comando do tricolor gaúcho. Em 2003, o técnico salvou o time do descenso no ano do seu centenário e hoje o episódio serve como inspiração para fazer o mesmo na Raposa.

Conhecido como 'Capitão América' por levantar a Taça Libertadores em 1995, Adilson Batista é ídolo do Grêmio e foi chamado para tirar a equipe do rebaixamento em 2003. No fundo do poço, o Grêmio chegou a segurar a lanterna do Brasileiro e ficar nove pontos atrás do primeiro integrante fora da degola.

Diferente do cenário atual, daquela vez Adilson teve 19 oportunidades para salvar a equipe. Além disso, o campeonato tinha 24 equipes e só dois rebaixados. No fim, Adilson celebrou a permanência com 50 pontos, um a mais que o Fortaleza, que acabou rebaixado junto com o Bahia. Desta vez, o desafio é bem maior. No momento da sua chegada, o treinador tinha dez dias e três jogos para trabalhar. Agora, só faltam mais duas partidas e quatro dias pela frente.

O episódio de 2003 foi lembrado por Adilson em seu retorno ao Cruzeiro. Quando questionado sobre a presença de medalhões na equipe, o técnico afirmou que qualquer jogador precisaria "jogar bola" para ser titular e que somente o nome não seria suficiente para ser escalado. No Grêmio, ele mostrou essa mesma postura ao barrar o goleiro e ídolo Danrlei e apostar em Eduardo Martini nas rodadas finais daquele Brasileirão.

E é isso que ele tem tentado fazer na Raposa. Thiago Neves já está afastado e, portanto, não jogará mais pelo time em 2019. Mas jogadores como Robinho e Marquinhos Gabriel não recuperaram a condição de titular. O veterano Fred também entrou na partida contra o Vasco, mas ainda briga com Joel por uma vaga entre os 11 iniciais.

Depois de salvar o Grêmio, Adilson ainda comandou o time em 2004, mas saiu antes de o Tricolor repetir outra campanha ruim e, desta vez, cair para a segunda divisão nacional. Em sua carreira na beira do gramado, o treinador ainda obteve sucesso evitando o descendo do Figueirense e do Paysandu. Por outro lado, colecionou algumas campanhas que terminaram em rebaixamentos, como no América-MG, no Joinville e no Vasco.

Para o jogo de hoje, duas mudanças podem pintar na equipe. Precisando de algum fato novo para surpreender os anfitriões, o técnico testou Fred no lugar de Joel e Orejuela atuando mais avançado. Desta forma, Edilson deverá voltar e ser o dono da lateral direita.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO x CRUZEIRO

Motivo: 37ª rodada do Brasileirão
Data/Hora: 05/12/2019, às 19h15 (de Brasília)
Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Fabrício Vildinho da Silva (GO) e Cristhians Passos Sorence (GO)
VAR: Wagner Reway (PB)

GRÊMIO: Paulo Victor; Léo Moura, Geromel, Kannemann e Bruno Cortez; Maicon, Matheus Henrique; Alisson, Diego Tardelli (Pepê) e Everton; Luciano. Técnico: Renato Gaúcho.

CRUZEIRO: Fábio; Edílson, Léo, Cacá e Egídio; Henrique, Éderson, Ariel Cabral e Orejuela; David e Fred. Técnico: Adilson Batista.

Futebol