Topo

Vasco recebe o 'bi nacional' Athletico 15 anos após ter sido carrasco

Vasco e Athletico-PR se enfrentaram na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2004 - REUTERS/Bruno Domingos
Vasco e Athletico-PR se enfrentaram na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2004 Imagem: REUTERS/Bruno Domingos

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

22/09/2019 04h00

Resumo da notícia

  • O Vasco enfrenta hoje o Athletico Paranaense em São Januário pelo Brasileirão
  • O duelo reprisa a disputa que teve o Vasco como carrasco do bi nacional do Furacão
  • Em 2004, o Athletico liderava a fase final por 2 pontos, e o Vasco lutava contra o rebaixamento
  • O Athletico hoje atravessa sua melhor fase, mas nunca venceu o Vasco em São Januário

O Vasco recebe o Athletico, hoje (22), em São Januário, pelo Campeonato Brasileiro, para tentar ganhar os três pontos e "carimbar a faixa" do adversário, que conquistou a Copa do Brasil na última quarta-feira, o segundo título nacional do clube rubro-negro. O duelo acontece 15 anos depois de o time cruz-maltino, em confronto também na Colina, ter sido "carrasco" do Furacão, tendo papel crucial para que o time do Paraná não conseguisse o bi nacional.

O time de Vanderlei Luxemburgo, que vem de vitória fora sobre a Chapecoense, quer manter o bom desempenho que vem tendo em casa e também mudar a impressão que deixou após a derrota para o Bahia, em São Januário, na penúltima rodada. Um triunfo pode fazer com que o time se afaste ainda mais da zona de rebaixamento.

Já o Athletico, que perdeu para o Avaí na última rodada, busca os três pontos para se aproximar do G6. Vale lembrar, porém, que com a conquista da Copa do Brasil, o Furacão já tem vaga na Libertadores do ano que vem.

Jeferson Guareze/AGIF
Imagem: Jeferson Guareze/AGIF

O jogo após o título nacional ser em São Januário acaba tendo um grande significado. Em 2004, o Ahtletico (à época, Atlético-PR), comandado por Levir Culpi, tinha no elenco nomes como Fernandinho, Jádson, Dênis Marques, Dagoberto e Washington.

A equipe assumiu a liderança do Brasileiro - que na ocasião ainda tinha 24 clubes - na rodada 33 e caminhava para a conquista do segundo título da competição. O Furacão havia sido campeão em 2001.

O Vasco, por sua vez, tinha Joel Santana como treinador, mas passava longe do elenco estrelado de anos anteriores e atravessava uma crise, brigando contra o rebaixamento.

Jonas Oliveira/Folhapress
Imagem: Jonas Oliveira/Folhapress

Na penúltima rodada, o Furacão tinha dois pontos de vantagem em relação ao segundo colocado Santos e foi a São Januário enfrentar a equipe cruz-maltina, que buscava a vitória para afastar de vez as chances de ir para a Série B do Brasileiro.

O Athletico se mostrou melhor no primeiro tempo da partida e teve chance de abrir o placar, mas o alívio vascaíno veio aos 21 minutos do segundo tempo, quando Henrique, de cabeça, completou cruzamento de Petkovic e balançou a rede, assegurando a vitória por 1 a 0.

A derrota na Colina e o triunfo do Santos sobre o São Caetano tiraram o Furacão da liderança restando apenas uma rodada para o fim do campeonato. No último jogo, o mesmo Vasco perdeu para o Peixe por 2 a 1, em São Paulo, e o time da Vila Belmiro se sagrou campeão.

Fernando Santos/TBA
Imagem: Fernando Santos/TBA

O Athletico, apesar da boa campanha, viu o bi nacional escapar. O resultado final da competição fez acirrar ainda mais a rixa entre Eurico Miranda, à época presidente do Vasco, e Mário Celso Petraglia, então presidente do Conselho Deliberativo do Furacão.

Agora, 15 anos depois, já com o segundo título do Brasil garantido, o Athletico encara os "traumas" Vasco e São Januário, local onde nunca venceu - quando conquistou três pontos no Rio, no Brasileiro de 2017, o jogo foi em Volta Redonda. O triunfo foi por 1 a 0 com gol de Ribamar, hoje no Vasco.

De lá para cá...

Nos últimos 15 anos, Vasco e Athletico trilharam caminhos quase que opostos. O clube carioca, paralelamente a todos os problemas políticos, atravessa crise financeira e viu o time ter três rebaixamentos no Brasileiro (2008, 2013 e 2015). Já o Furacão passa por um dos melhores momentos da história. No ano passado, foi campeão da Copa Sul-Americana e fez boa campanha no Brasileiro. Já nesta temporada, foi campeão do Estadual e levantou a Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
VASCO X ATHLETICO


Data: 22 de setembro de 2019 (domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Local: São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Arbitro: Anderson Daronco (Fifa / RS)
Assistentes: Rafael da Silva Alves (RS) e Elio Nepomuceno de Andrade Junior (RS)
Árbitro de vídeo: Daniel Nobre Bins (RS)

Vasco
Fernando Miguel, Yago Pikachu, Oswaldo Henríquez, Leandro Castan e Danilo Barcellos; Richard, Raul e Marcos Júnior; Rossi, Ribamar e Talles Magno
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Athletico

Léo; Madson, Pedro Henrique, Lucas Halter e Abner Vinícius; Matheus Rossetto, Lucho González e Everton Felipe; Braian Romero, Marcelo Cirino (Vitinho) e Thonny Anderson
Técnico: Tiago Nunes