PUBLICIDADE
Topo

Futebol

"Não dá para jogar igual", diz Rodrigo Santana sobre triunfo do Atlético-MG

Rodrigo Santana, técnico do Atlético-MG - Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG
Rodrigo Santana, técnico do Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Divulgação/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

27/08/2019 23h58

O Atlético-MG adotou uma forma distinta de atuar na vitória por 3 a 1 sobre o La Equidad (COL), na noite de hoje, pela volta das quartas de final da Sul-Americana. Com menos posse de bola - 24% contra 76% -, o time apostou na velocidade para chegar ao gol adversário. Rodrigo Santana explica que isso se deu porque seria impossível jogar atacante o adversário.

O treinador atleticano concedeu entrevista após a partida ocorrida no estádio El Campín, em Bogotá, na Colômbia, e detalhou a situação:

"Olha, a gente sabe que o mais difícil é o adversário, equipe muito bem treinada, com marcação alta muito forte. A gente sabia da dificuldade da altitude. O gramado estava muito seco e nos atrapalhou a ter a bola. Não tem como jogar de igual para igual com a equipe do La Equidad. É uma equipe muito bem treinada, muito forte, não tem como jogar de igual para igual na altitude. Procuramos saber sofrer e conseguimos fazer um gol aos 19. Nós fizemos um jogo inteligente, muito bem treinado e soubemos enfrentar as dificuldades", declarou.

O treinador também enalteceu a efetividade de seus comandados, que fizeram três gols em nove finalizações. A média foi de um gol a cada chute contra a meta adversária.

"Aconteceram várias coisas que não vinham acontecendo. Além dessa efetividade para fazer gol, esse poder de conclusão, a gente fez dois gols de bola parada, a gente fez dois de escanteio hoje. Em um jogo em que não tivemos a bola, jogamos muito abaixo, conseguimos sair com três gols. Isso é importante, tem que saber jogar Copa, são jogos difíceis e a equipe contribui muito para esses jogos", concluiu.

Futebol