Topo

Série B - 2019


Jogadores do Figueirense não entram em campo contra Cuiabá e perdem por WO

Brunno Carvalho e Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

20/08/2019 22h00

Jogadores do Figueirense decidiram não entrar em campo para o jogo de hoje contra o Cuiabá, na Arena Pantanal. A partida, marcada para as 21h30 (de Brasília), era válida pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

O regulamento geral das competições da CBF previa que o árbitro da partida, Pathrice Maia, esperasse a presença dos jogadores do Figueirense por 30 minutos além do horário marcado. Com o não comparecimento da equipe, o W.O. foi confirmado e o Cuiabá declarado vencedor por 3 a 0. A equipe catarinense ainda deverá ser julgada pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva).

Faltando 10 minutos para o fim do prazo, os jogadores do Figueirense entraram no ônibus da equipe e deixaram a Arena Pantanal.

Jogadores do Figueirense deixam a Arena Pantanal - Reprodução
Jogadores do Figueirense deixam a Arena Pantanal
Imagem: Reprodução

O WO é uma manifestação dos jogadores à falta de pagamentos de salários, atrasados desde julho. Os direitos de imagem também não são quitados com o elenco há mais tempo, desde maio.

O boicote à partida já era esperado frente à greve anunciada pelo elenco em 16 de agosto. Em nota, a diretoria do clube prometia quitar as dívidas até 28 de agosto.

A indefinição sobre a participação ou não se estendeu até os últimos minutos prévios ao duelo. Nas reuniões no hotel e no vestiário da Arena Pantanal, os jogadores pediram uma garantia à diretoria de que os salários e direitos atrasados de todos os funcionários seriam quitados até o dia 28.

Os atletas queriam que no compromisso, o presidente Cláudio Honigman se prontificasse a renunciar ao cargo caso os débitos não fossem quitados. De acordo com o advogado dos jogadores, Filipe Rino, o compromisso foi rechaçado pelo dirigente.

Rino afirmou ao UOL Esporte que as negociações com a diretoria continuarão para a partida contra o CRB, marcada para o dia 24 de agosto.

Os jogadores não realizaram trabalhos desde a derrota em casa por 1 a 0 para a Ponte Preta na última quinta-feira (15). Desde então, apresentaram-se apenas para a viagem para o Mato Grosso. Por causa do imbróglio financeiro, o técnico Hemerson Maria pediu demissão no dia 29 de julho. As dívidas também resultaram na saída do goleiro Denis.

Conforme o protocolo oficial, o trio de arbitragem deve esperar até as 22h (horário de Brasília) para que o Figueirense entre em campo. Confirmado o WO, o clube catarinense terá que pagar multa de R$ 100 mil, além de oficializar uma derrota por 3 a 0.