PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Conmebol tem meta de público para final da Libertadores e não espera 100%

Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai - GettyImages
Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai Imagem: GettyImages
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

21/08/2021 04h00

A Conmebol tem meta de público para a final da Libertadores no Estádio Centenário: é um percentual do estádio acima de 50% da capacidade. Não há expectativa de estádio cheio. Mas o quadro ainda não está claro e vai depender da evolução da pandemia de coronavírus no Uruguai. O governo local ainda não tomou decisão oficial sobre o assunto.

Há grande chance de uma final brasileira, envolvendo Flamengo, Atlético-MG ou Palmeiras. Por isso, torcedores já vislumbram a possibilidade de ir ao jogo. Porém, no momento, não há certeza de que isso poderá ocorrer.

Montevidéu foi escolhida como sede da final da competição por dois motivos: 1) A ajuda do governo uruguaio para a Conmebol obter vacinas em negociação para fornecimento de Coronavac; 2) a possibilidade de ter público porque o país controlou melhor a pandemia do que os vizinhos.

Por isso, a Conmebol topou investir na reforma do Centenário que tem capacidade em torno de 60 mil lugares. A arena tinha problemas por desgaste do tempo.

A projeção da Conmebol é ter um público acima de 50% do estádio em percentual que é mantido em sigilo. Não se descarta que se chegue ao estádio cheio, mas esse cenário é visto como difícil. Também é possível que seja um público menor.

O público começa a voltar aos jogos de futebol no Uruguaio: o Peñarol recebeu torcida na última partida. Pelo cenário atual, a Conmebol entende que poderia haver entre 15 mil e 20 mil torcedores. Mas a tendência é de evolução no país. É isso que deixa a Conmebol otimista.

O Uruguai tem 70% da população totalmente vacinada, um dos maiores percentuais do mundo. Além disso, houve 124 novos casos no último dia, e 0,7 morte por milhão de pessoa. Em comparação, o Brasil teve 3,86 mortes por milhão de pessoas em um dia.

É certo que, se liberado o público, haverá obrigatoriedade de vacina e teste de covid para os que forem ao evento. A entrada no Uruguai já exige ambos para turistas.