PUBLICIDADE
Topo

Rodrigo Mattos

Por que Brasileiro prevê 15 jogos com apagões nas 10 primeiras rodadas

Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

22/07/2020 16h10

Com Pedro Ivo de Almeida

A tabela do Brasileiro Série A indica 15 partidas que não têm previsão de transmissão em nenhuma televisão em dez rodadas, o que significa 15% da competição. As explicações são escolhas comerciais da Globo e TNT, a disputa jurídica em torno da MP do Mandante entre as partes e a falta de um contrato de direitos de do Red Bull Bragantinos. Há cerca de duas semanas para tentar mudar esse quadro antes do início da competição.

A situação se agrava porque o Brasileiro será reiniciado no início de agosto em meio à epidemia do coronavírus e, portanto, sem presença de público. Ou seja, a se manter a situação atual, essas partidas serão assistidas por quase ninguém. Há jogos de clubes como Santos, São Paulo, Fluminense, Atlético-MG e São Paulo, Fortaleza e Bahia sem TV prevista.

O clube com maior número de jogos sem transmissão é o Red Bull Bragantino, com todos os confrontos no escuro. O clube não tem contrato com nenhuma das emissoras - sua negociação com a Globo está travada. Mas há uma possibilidade de o Red Bull, baseado na MP do Mandante, transmitir seus jogos em casa em canal de streaming.

Depois dele, o Athletico-PR tem seis das suas partidas sem transmissão. Isso porque a Turner optou por não passar jogos como o clássico Atletiba sobre o qual tem direito na TV Fechada. Preferiu partidas do Ceará como mandante com o Flamengo de visitante, e do Santos recebendo o São Paulo. O canal tem limitação de 76 jogos no campeonato. Mas o Athletico tem os direitos em streaming de seus jogos em pacote pago e pode usar a MP do Mandante para transmitir as partidas.

A Globo também poderia passar essa partida na TV Aberta. A emissora carioca mudou de estratégia em relação ao ano passado e não passará mais os jogos do Athletico-PR no seu site.

Para transmitir desta forma, a Globo tem que pagar uma cota de exibição que vem da fatia do contrato com os clubes. Do total do contrato, 30% da verba é distribuído considerando o número de vezes na TV Fechada ou Aberta.

A Globo também abriu mão de jogos que tem direitos sobre o mandante como o Atlético-MG x Red Bull Brangatino e São Paulo x Red Bull Bragantino. A emissora quer fazer valer a jurisprudência de que apenas seu contrato assinado anteriormente à lei é válido e, portanto, não tem direito sobre jogos em que só tem acordo com o mandante.

A emissora carioca já notificou a Turner e a CBF alegando que jogos envolvendo os clubes com os quais tem contrato não podem ser exibidos. A Turner incluiu na tabela essas partidas usando a MP do Mandante.

Rodrigo Mattos