PUBLICIDADE
Topo

Havan investe em Fla-Flu enquanto não paga patrocínios a Vasco e Athletico

Tela inicial do Fla-Flu transmitido pelo SBT - Reprodução
Tela inicial do Fla-Flu transmitido pelo SBT Imagem: Reprodução
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

17/07/2020 04h00

A Havan foi uma das compradoras de cotas do Fla-Flu da final do Carioca, com investimento entre R$ 600 mil e R$ 800 mil. Ao mesmo tempo, a empresa está com os pagamentos para seus principais clubes patrocinados suspensos, o Vasco e o Athletico-PR, por conta da epidemia do coronavírus.

A Havan é uma cadeia de lojas cujo dono é o empresário Luciano Hang, aliado do presidente Jair Bolsonaro e crítico das medidas de isolamento social para combater a epidemia por causar dano econômico. Sua empresa tem expandido a atuação no futebol como patrocinadora de clubes.

No período de suspensão do futebol, a Havan negociou tanto com o Vasco quanto com o Athletico-PR a suspensão dos pagamentos de patrocínio. A alegação era a falta de exibição da marca em jogos. A suspensão foi feita de comum acordo com os clubes.

Esse tipo de suspensão tem sido comum no futebol desde de que o futebol parou. Alguns patrocinadores pararam de pagar alegando que não tinham retorno previsto em contrato pela falta de jogos. Outras empresas, como a Globo, no entanto, pagam pelo menos parte dos contratos.

O Athletico, de fato, não joga desde a paralisação do Estadual e da Libertadores. A marca da empresa continua a ser divulgada no site do clube. O Vasco chegou a atuar duas vezes pelo Carioca utilizando a marca da Havan em sua manga da camisa, patrocínio fechado no final do ano passado. Os pagamentos para os vascaínos, no entanto, estão suspensos até o final da pandemia, sem data estipulada.

Mas, diante da possibilidade de uma final do Carioca, a empresa de Hang topou comprar uma das cotas vendidas pelo SBT para o Fla-Flu. Essas cotas foram vendidas por valores entre R$ 600 mil e R$ 800 mil. Pelo acordo feito com a emissora, o Flamengo ficará com metade dos valores pagos pela cota.

A Havan é parceira de longa data do SBT, sendo anunciante habitual de programas. Ao mesmo tempo, Hang era convidado rotineiro do dono da emissora Silvio Santos e seus apresentadores. Nos programas, costuma receber elogios.

Blog do Rodrigo Mattos