PUBLICIDADE
Topo

Blog do Rodrigo Mattos

Governo e CBF têm conflito de versões para restrição a jogo por coronavírus

Marcelo Cortes / Flamengo
Imagem: Marcelo Cortes / Flamengo
Rodrigo Mattos

Nascido no Rio de Janeiro, em 1977, Rodrigo Mattos estudou jornalismo na UFRJ e Iniciou a carreira na sucursal carioca de ?O Estado de S. Paulo? em 1999, já como repórter de Esporte. De lá, foi em 2001 para o diário Lance!, onde atuou como repórter e editor da coluna De Prima. Mudou-se para São Paulo para trabalhar na Folha de S. Paulo, de 2005 a 2012, ano em que se transferiu para o UOL. Juntamente com equipe da Folha, ganhou o Grande Prêmio Esso de Jornalismo 2012 e o Prêmio Embratel de Reportagem Esportiva 2012. Cobriu quatro Copas do Mundo e duas Olimpíadas.

13/03/2020 19h48

A CBF determinou hoje (13) que só os jogos de Rio de Janeiro e São Paulo tivessem como portões fechados durante o final de semana. Afirmou que se baseava em orientação da Secretaria de Vigilância Sanitária, órgão do Ministério da Saúde, que supostamente só instruía a restrição para esses Estados. A recomendação do ministério divulgada horas depois, no entanto, indica que deveriam ser cancelados ou suspensos eventos esportivos para todas as unidades da federação, ou que, se a medida não for possível, que eles aconteçam com portões fechados.

A nota da confederação fala que seguiu a orientação do secretária: "Essa medida tem prazo indeterminado e está sendo tomada por conta do estágio de transmissão comunitária do coronavírus, já identificado pelo Ministério da Saúde nestes centros urbanos, situação que gerou a recomendação expressa de restrição do contato social nestes eventos",

Mas o documento divulgado pelo governo federal sobre orientações do coronavírus é mais abrangente. Afirma que a seguinte recomendação vale para todas as unidades da federação a partir de hoje (sexta-feira):

"Eventos de massa (grandes eventos) - governamentais, esportivos, artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais e religiosos e outros com concentração próxima de pessoas: os organizadores ou responsáveis devem cancelar ou adiar, se houver tempo hábil. Não sendo possível, recomenda-se que o evento ocorra sem público. Não sendo possível, devem cumprir os requisitos previstos na portaria No 1.139, de junho de 2013."

Diretrizes do Ministério da Saúde para eventos públicos - coronavírus - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

É mencionado no documento restrição específica para locais com transmissão local (casos do Rio e São Paulo) com recomendação de cancelamento para eventos, incluindo esportivos, em locais fechados com aglomeração (entre 100 pessoas).

Questionada pelo blog, a CBF informou ter se baseada em orientação direta feita pelo secretário da Vigilância Sanitária, Wanderson Oliveira, em telefone dado ao secretário-geral da confederação, Walter Feldman. E disse que esperava uma nota específica do Ministério sobre futebol.

Em seguida, blog questionou a Secretaria de Vigilância Sanitária sobre a contradição entre as duas versões. Por e.mail, a assessoria enviou o documento original do ministério em que recomenda cancelamento de eventos em todas as unidades federativas. E ressaltou que "não são determinações e sim recomendações do Ministério da Saúde".

Blog do Rodrigo Mattos