PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Como sucesso de Benzema encurtou a passagem de Fred pela Europa

Fred e Benzema jogaram juntos no Lyon entre 2005 e 2009 - Reprodução
Fred e Benzema jogaram juntos no Lyon entre 2005 e 2009 Imagem: Reprodução
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

24/05/2022 04h00

Maior artilheiro da história da era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro, Fred atuou durante três anos e meio na Europa. E só não ficou por mais tempo no futebol do Velho Continente porque o hoje artilheiro da Liga dos Campeões e favorito ao prêmio de melhor jogador do mundo não "deixou".

O capitão do Fluminense vestiu a camisa do Lyon entre agosto de 2005 e março de 2009. Ainda com 25 anos, decidiu voltar ao seu país-natal para atuar na equipe tricolor porque já não tinha mais como brigar por posição com Karim Benzema.

Os dois foram companheiros de time durante toda a passagem de Fred pela França. Só que lá no começo da parceria, o brasileiro era a estrela, enquanto o agora craque do Real Madrid e adversário do Liverpool na decisão da Champions, neste sábado, não passava apenas de um aprendiz recém-promovido das categorias de base.

Recentemente, o camisa 9 do Flu afirmou em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo, que foi ele quem ensinou Benzema a fazer gols. E a estrela francesa tratou de repostar o vídeo da fala em suas redes sociais.

De fato, durante as duas primeiras temporadas da parceria, era Fred quem realmente mais balançava as redes no Lyon: foram 17 tentos seus contra quatro de Benzema, em 2005/06, e 14 a oito, no ano seguinte.

Só que, quando o brasileiro sofreu uma lesão no pé direito e perdeu os dois primeiros meses da temporada 2007/08, o futuro astro do Real aproveitou a brecha para fazer sua carreira deslanchar. Nas dez rodadas inaugurais do Campeonato Francês, marcou dez vezes. E tirá-lo do time titular virou uma tarefa impossível.

Quando Fred voltou do departamento médico, já não havia mais vaga cativa para ele no time. O atacante então passou a se revezar entre o banco de reservas e o posto de companheiro de frente de Benzema.

Só que os minutos do brasileiro foram diminuindo progressivamente com o passar do tempo. E, no comecinho de março de 2009, ele aceitou proposta para deixar definitivamente a Europa e jogar no Fluminense.

Curiosamente, Benzema só ficou mais alguns poucos meses no Lyon. No fim da temporada, foi negociado com o Real Madrid, clube pelo qual já disputou 604 partidas, anotou 323 gols e ganhou quatro troféus de Liga dos Campeões.

Se o quinto título chegar neste fim de semana, muito será por sua responsabilidade. O francês é o artilheiro da competição, com 15 tentos, dez deles anotados só nos mata-matas decisivos (passou em branco em apenas um jogo, a ida das oitavas de final, contra o Paris Saint-Germain).

A final entre Real Madrid e Liverpool será a mais pesada da história da Liga dos Campeões e levará a campo nada menos que 19 títulos da competição que é o desejo máximo de jogadores, treinadores, dirigentes e torcedores: 13 dos espanhóis e seis dos ingleses.

Esse será o terceiro encontro dos dois clubes na decisão do torneio continental. Em 1981, os Reds venceram por 1 a 0. O troco veio quatro anos atrás, com uma vitória por 3 a 1 do Real.

Pelo terceiro ano consecutivo, a partida que distribuirá o título de melhor time de futebol do Velho Continente não será disputada no local inicialmente programado pela Uefa.

Depois de levar as duas últimas finais da Champions para Portugal por conta da pandemia da covid-19, a entidade europeia resolveu tirar o jogo do título desta edição de São Petersburgo como forma de sanção pela invasão da Rússia à Ucrânia.

Com isso, a partida que definirá o sucessor do Chelsea no posto de campeão europeu será realizada daqui a uma semana, no dia 28 de maio, em Saint-Denis, nos arredores de Paris (França).

Finais europeias 2021/22

LIGA EUROPA
18/05 - Eintracht Frankfurt 1 (5) x (4) 1 Rangers, no Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha (ESP)

CONFERENCE LEAGUE
25/05, às 16h - Roma x Feyenoord, na Arena Kombëtare, em Tirana (ALB)

LIGA DOS CAMPEÕES
28/05, às 16h - Liverpool x Real Madrid, no Stade de France, em Saint-Denis (FRA)