PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Por que nenhum clube grande contrata Immobile, autor de 79 gols em 2 anos?

Ciro Immobile está na Lazio desde 2016 e fez 79 gols desde agosto de 2019 - Getty Images
Ciro Immobile está na Lazio desde 2016 e fez 79 gols desde agosto de 2019 Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

21/10/2021 04h00

Setenta e nove gols marcados desde agosto de 2019, Chuteira de Ouro de artilheiro máximo dos campeonatos nacionais da Europa na temporada 2019/20 e um recém-conquistado título de Eurocopa com a seleção italiana.

Os últimos anos de Ciro Immobile foram de dar inveja à maioria dos atacantes que compõem o primeiro escalão do futebol mundial. Só quem parece não enxergar isso são os clubes mais poderosos do planeta.

Mesmo balançando as redes em uma frequência digna dos grandes artilheiros da atualidade, o centroavante de 31 anos já está na sexta temporada pela Lazio, uma equipe que não ganha o Campeonato Italiano há duas décadas e que só raramente dá as caras na Liga dos Campeões.

Ao longo desse tempo todo, vários foram os times da prateleira de cima do futebol mundial que precisaram desesperadamente de um homem-gol (Chelsea, Manchester United, Manchester City, Paris Saint-Germain, Inter de Milão, Juventus, Barcelona).

Alguns deles talvez até tenham pensado na possibilidade de contratar Immobile, mas nenhum tratou o italiano como prioridade no Mercado da Bola e fez uma oferta formal capaz de fazer a Lazio pelo menos pensar em negociá-lo.

E o motivo principal nem é o dinheiro. O camisa 17 da Lazio tem um salário anual na casa de 4 milhões de euros (R$ 26 milhões). Isso é menos do que Inter, Juventus e PSG pagam a Edin Dzeko, Álvaro Morata e Mauro Icardi (que é reserva), respectivamente.

O custo da sua transferência também não seria um absurdo. Apesar de ter um contrato longo com a Lazio (até 2026), Immobile não precisaria de uma oferta milionária (daquelas que deixam todo mundo boquiabertos) para ser negociado devido a já ter uma idade razoavelmente elevada.

O motivo que tem prendido o centroavante à Lazio parece ser outro: a desconfiança de que ele conseguiria reproduzir em outro lugar o mesmo nível de desempenho que vem atingindo na capital italiana.

Ao longo da carreira, Immobile teve um grande ano pelo Pescara (na Série B), outro no Torino e a ótima fase no clube romano. No restante do tempo, ficou devendo. E isso inclui as duas passagens que teve por outros países.

No Borussia Dortmund, o italiano só disputou 34 partidas e marcou dez gols. No Sevilla, os números foram ainda mais escassos: quatro bolas nas redes em 687 minutos de futebol diluídos em 15 apresentações.

Sem a confiança dos clubes já estabelecidos no cenário internacional, o caminho que pode pintar para Immobile é se juntar à aventura bancada pelo governo da Arábia Saudita de transformar o Newcastle em uma potência.

De acordo com vários veículos da imprensa britânica, como o jornal "Daily Express" e a rádio talkSport, o atacante é um dos nomes que a diretoria dos novos ricos da Inglaterra pensam em contratar já na janela de transferências de janeiro para evitar que a equipe seja rebaixada para a segunda divisão nacional.

Com Immobile já recuperado da lesão muscular que o impediu de disputar a fase final da Liga das Nações, durante a última Data Fifa, a Lazio recebe hoje o Olympique de Marselha, pela terceira rodada da fase de grupos da Liga Europa.

No domingo, a equipe romana visita o Hellas Verona, em jogo válido pela nona rodada do Campeonato Italiano. Os comandados de Maurizio Sarri ocupam a quinta colocação no Calcio, com 14 pontos, dez a menos que o Napoli, líder da competição ainda com 100% de aproveitamento.