PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Descubra as vendas mais caras da história dos maiores clubes da Europa

Hoje no Liverpool, goleiro Alisson ainda é a venda mais cara da Roma - Getty Images
Hoje no Liverpool, goleiro Alisson ainda é a venda mais cara da Roma Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

24/09/2021 04h20

Barcelona, Liverpool, Milan, Roma, Porto e Bayern de Munique têm muita coisa em comum. Todos eles são clubes tradicionais do primeiro escalão do futebol europeu e que estão acostumados a fazer grandes campanhas em seus campeonatos nacionais e também no cenário internacional.

O sexteto citado acima compartilha de uma outra marca expressiva: a venda mais cara da história já realizada por cada um deles foi de um jogador do país mais vitorioso do futebol mundial.

Neymar (Barça), Philippe Coutinho (Liverpool), Kaká (Milan), Alisson (Roma), Éder Militão (Porto) e Douglas Costa (Bayern) colocaram o Brasil no topo do ranking das negociações mais expressivas de saída de jogadores já feitas pelos clubes mais poderosos do planeta.

O "Blog do Rafael Reis" vasculhou o histórico de transferências de 25 times da prateleira de cima da Europa para chegar a esse resultado. Nesse grupo de elite, há ainda cinco recordes ligados a jogadores franceses e quatro a portugueses.

Por conta dos efeitos econômicos da pandemia da covid-19, a maioria dos negócios históricos foram fechados entre 2018 e 2019, antes da proliferação do vírus bagunçar as contas dos clubes e reduzir consideravelmente os valores pagos por jogadores de futebol.

Dentre todos os times analisados, apenas um deles, a Inter de Milão, bateu seu recorde de maior venda de todos os tempos na última janela de transferências. A equipe italiana recebeu 115 milhões de euros (R$ 709,3 milhões) para mandar o centroavante belga Romelu Lukaku para o Chelsea.

Outros dois estabeleceram suas marcas históricas no ano passado: o Sporting, antes da explosão da pandemia, já que a venda de Bruno Fernandes para o Manchester United foi fechada no mercado da janeiro, e o Manchester City, já com a hecatombe em andamento.

Apenas dois times tiveram seus maiores lucros com a negociação de um atleta há mais de dez anos e não aproveitaram o boom vivido pelo Mercado da Bola ao longo da última década. Os recordes de Manchester United e Milan, os mais antigos de todos, são de 2009. E envolvem dois cracaços que foram eleitos melhores do mundo: Cristiano Ronaldo e Kaká.

No total, dez equipes europeias do grupo das maiores do continente já fizeram vendas que romperam a barreira dos 100 milhões de euros (R$ 619 milhões): Barcelona, Liverpool, Borussia Dortmund, Benfica, Atlético de Madri, Real Madrid, Inter de Milão, Juventus, Tottenham e Chelsea.

O Barça foi além. A ida de Neymar para o Paris Saint-Germain, selada em 2017, é até hoje o único negócio a cruzar a linha dos 200 milhões de euros (R$ 1,2 bilhão). E, devido à crise econômica pós-pandemia, assim deve permanecer por mais um tempinho.

A venda mais cara da história de cada clube

BARCELONA: Neymar (BRA/2017/Paris Saint-Germain), 222 milhões de euros
LIVERPOOL: Philippe Coutinho (BRA/2018/Barcelona), 160 milhões
BORUSSIA DORTMUND: Ousmane Dembélé (FRA/2017/Barcelona), 135 milhões
BENFICA: João Félix (POR/2019/Atlético de Madri), 126 milhões
ATLÉTICO DE MADRI: Antoine Griezmann (FRA/2019/Barcelona), 120 milhões
REAL MADRID: Cristiano Ronaldo (POR/2018/Juventus), 117 milhões
INTER DE MILÃO: Romelu Lukaku (BEL/2021/Chelsea), 115 milhões
JUVENTUS: Paul Pogba (FRA/2016/Manchester United), 105 milhões
TOTTENHAM: Gareth Bale (GAL/2013/Real Madrid), 101 milhões
CHELSEA: Eden Hazard (BEL/2019/Real Madrid), 100 milhões
MANCHESTER UNITED: Cristiano Ronaldo (POR/2009/Real Madrid), 94 milhões
NAPOLI: Gonzalo Higuaín (ARG/2016/Juventus), 90 milhões
AJAX: Frenkie de Jong (HOL/2019/Barcelona), 86 milhões
MILAN: Kaká (BRA/2009/Real Madrid), 65 milhões
SPORTING: Bruno Fernandes (POR/2020/Manchester United), 63 milhões
ROMA: Alisson (BRA/2018/Liverpool), 62,5 milhões
LYON: Tanguy Ndombélé (FRA/2019/Tottenham): 60 milhões
RB LEIPZIG: Naby Keita (GUI/2018/Liverpool): 60 milhões
PORTO: Éder Militão (BRA/2019/Real Madrid), 50 milhões
MANCHESTER CITY: Leroy Sané (ALE/2020/Bayern de Munique), 45 milhões
BAYERN DE MUNIQUE: Douglas Costa (BRA/2018/Juventus), 40 milhões
PARIS SAINT-GERMAIN: Gonçalo Guedes (POR/2018/Valencia), 40 milhões
SEVILLA: Wissam Ben Yedder (FRA/2019/Monaco), 40 milhões
ARSENAL: Alex Oxlade-Chamberlain (ING/2017/Liverpool), 38 milhões
ATALANTA: Dejan Kulusevski (SUE/2019/Juventus): 35 milhões

Fonte: Transfermarkt