PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Finalista da Champions, Chelsea teve goleiro de 167 kg que chegou à seleção

William Foulke foi o primeiro goleiro da história do Chelsea - Reprodução
William Foulke foi o primeiro goleiro da história do Chelsea Imagem: Reprodução
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/05/2021 04h20

Finalista da Liga dos Campeões da Europa pela terceira vez na história, o Chelsea provavelmente terá Édouard Mendy, um gigante de 1,97 m e 87 kg, defendendo sua meta na decisão contra o Manchester City.

Mas, por mais que o corpanzil do senegalês de 29 anos chame a atenção, seu físico até parece com o de uma criança quando comparado ao do primeiro goleiro que vestiu o uniforme do clube londrino.

Em 1905, sua temporada de estreia depois da fundação, os Blues tiveram como arqueiro titular um inglês que tinha mais ou menos a mesma altura de Mendy, mas que chegou a pesar 167 kg.

William Foulke, o "Fatty" ("Gorducho", em tradução livre para o português), como era mais conhecido nos gramados do começo do século passado, não foi só o primeiro goleiro da existência do Chelsea, mas também o primeiro capitão e o nome mais importante do primeiro time montado pelo clube.

Isso porque, quando foi contratado por 50 libras, o goleiro já tinha 12 anos de história como jogador do Sheffield United, um título inglês e dois de Copa da Inglaterra no currículo e até mesmo convocações para a seleção.

Foulke também era conhecido pelo temperamento explosivo e pelas artimanhas que usava para atrapalhar os adversários. Uma de suas estratégias mais lembradas era posicionar dois meninos, um atrás de cada trave, que ficavam gritando para desconcentrar os atacantes no momento da finalização.

As lendas sobre "Fatty" dizem que ele chutava tão forte que chegou a marcar um gol como goleiro e que, depois de uma partida em que se sentiu prejudicado pela arbitragem, abandonou o chuveiro e foi pelado cobrar satisfação do juiz na saída do estádio.

Os relatos da época apontam também que, apesar do corpo incomum para um atleta de futebol, o histórico goleiro do Chelsea era bastante ágil. Seu peso, aliás, nunca foi visto como um problema, mas, sim, como uma solução.

Seus defensores argumentavam que, devido ao corpanzil, Foulke ocupava uma área maior do gol, deixando menos espaço para que a bola ultrapassasse as traves e chegasse às redes.

Curiosamente, a passagem de "Fatty" pelo Chelsea durou pouco, apenas uma temporada. Como não conseguiu o acesso para a primeira divisão no seu ano de estreia, o clube acabou abrindo mão do seu capitão, que se transferiu para o Bradford.

O arqueiro se aposentou em 1908, aos 33 anos. Depois de deixar os gramados, passou a administrar um pub. Mas sua vida pós-carreira no futebol não durou muito mais. Em 1916, morreu vítima de cirrose.

A decisão da edição 2020/21 da Champions será disputada no próximo dia 29 (sábado) e, pelo menos por enquanto, está marcada para o estádio Olímpico Atatürk, em Istambul (Turquia). Mas, assim como aconteceu no ano passado, a sede da partida pode ser alterada por causa da pandemia de covid-19.

Assim, o jogo que vai decidir o sucessor do Bayern de Munique no posto de melhor equipe da Europa pode ser transferido para alguma cidade inglesa ou mesmo para Portugal, que já recebeu a fase decisiva do torneio em 2020.

Essa será a terceira final 100% inglesa na história da competição. Em 2008, o Chelsea foi derrotado nos pênaltis pelo Manchester United após empate por 1 a 1 com a bola rolando. Duas temporadas atrás, o Liverpool se sagrou campeão europeu com uma vitória por 2 a 0 sobre o Tottenham.

O torneio teve outras cinco decisões entre clubes do mesmo país: três espanholas (todas vencidas pelo Real Madrid, em 2000, 2014 e 2016), uma italiana (Milan 0 x 0 Juventus, em 2003, com triunfo rossonero nos pênaltis) e uma alemã (Bayern de Munique 2 x 1 Borussia Dortmund, em 2013).