PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

7 sul-americanos que jogam na Europa para seu time contratar por empréstimo

Lucas Torreira pretende deixar a Europa para jogar na América do Sul - Getty Images
Lucas Torreira pretende deixar a Europa para jogar na América do Sul Imagem: Getty Images
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

11/04/2021 04h00

Contratar reforços de peso não tem sido uma tarefa fácil para os clubes brasileiros neste começo de temporada. Com as contas debilitadas por causa dos efeitos econômicos da pandemia da covid-19, não está sobrando muito dinheiro em caixa para ser investido na compra de direitos econômicos.

Nesse cenário de insegurança financeira, uma boa opção para melhorar o elenco é encontrar atletas talentosos que, por alguma razão, estejam disponíveis para serem emprestados por suas equipes atuais.

Ainda que o clube contratante tenha que arcar com o salário (integral ou parte dele) do novo jogador, essa modalidade de negócio não deixa de ser uma forma de economia e permite a chegada de jogadores que não seriam contratados se não fosse por essa modalidade.

O "Blog do Rafael Reis" apresenta abaixo sete jogadores sul-americanos de alto nível e com passagens por seleção que andam um tanto quanto em baixa na Europa e poderiam aceitar um empréstimo para o futebol brasileiro neste ano.

LUCAS TORREIRA
Volante
25 anos
Uruguaio
Atlético de Madri (ESP)

Um dos principais nomes da nova geração uruguaia, o volante de apenas 1,66 m disputou a última Copa do Mundo, é titular da seleção e tinha tudo para construir ao longo dos próximos anos uma longa e vitoriosa carreira no futebol europeu. Mas, depois que perdeu a mãe, vítima da covid, Torreira decidiu que seu lugar é mesmo a América do Sul. O uruguaio, atualmente emprestado pelo Arsenal ao Atlético de Madri, não esconde de ninguém que sua preferência é defender o Boca Juniors, seu time de coração. Mas Flamengo e Grêmio também estão monitorando o jogador e tentando convencê-lo a mudar para o Brasil. Com um preço muito alto para os padrões sul-americanos, a melhor chance de Torreira retornar o quanto antes ao continente é mesmo convencer os "Gunners" a emprestá-lo novamente, desta vez para algum clube daqui, assim que ele for devolvido pelos espanhóis.

CARLOS BACCA
Atacante
34 anos
Colombiano
Villarreal (ESP)

Carlos Bacca (Villarreal) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Velho conhecido de quem acompanha futebol internacional, o atacante está na Europa desde 2012 e já defendeu as camisas de Brugge, Sevilla e Milan. No Villarreal desde 2018, o colombiano tem jogado cada vez menos e iniciado a maioria das partidas no banco de reservas. Longe da seleção desde 2018, Bacca precisa de uma reviravolta na carreira se ainda tem o objetivo de disputar sua terceira Copa do Mundo. E essa transformação pode ser um retorno à América do Sul, onde seria titular absoluto de quase todos os times. O contrato com o Villarreal, que vai até o fim da próxima temporada, atrapalha, mas não chega a ser um impeditivo. Por isso, a opção de empréstimo pode ser um caminho a ser seguido.

MANUEL LANZINI
Meia
28 anos
Argentino
West Ham (ING)

Manuel Lanzini (West Ham) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

O ex-jogador do Fluminense já foi um dos nomes sul-americanos mais importantes da Premier League inglesa, mas perdeu importância no West Ham e nesta temporada só começou jogando três partidas. O próprio Lanzini tem falado abertamente que não sabe mais se seu futuro é permanecer em Londres ou buscar um outro clube onde possa ser mais utilizado. O meio-campista ainda tem mercado na Europa, mas sabe que o caminho para recuperar o bom futebol é mais curto aqui na América do Sul. Seu caso é semelhante ao de Torreira. Como é muito caro para os bolsos brasileiros e argentinos e ainda tem contrato válido por mais alguns anos, só mesmo um empréstimo pode viabilizar a transferência.

FEDERICO FAZIO
Zagueiro
34 anos
Argentino
Roma (ITA)

Federico Fazio (Roma) - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Experiência não falta ao defensor argentino. Na Europa desde 2007, ele defendeu times importantes das três principais ligas nacionais do planeta: Inglaterra (Tottenham), Espanha (Sevilla) e Itália (Roma). Só que os problemas físicos têm pesado para Fazio, que só disputou oito partidas nesta temporada e tem alternado passagens pelo departamento médico e pelo banco de reservas. Aos 34 anos, o zagueiro tem na volta à América do Sul a melhor opção para prorrogar a carreira em alto nível. O empréstimo é uma opção real. Mas, devido à idade elevada e pelo fato de ter só mais um ano de contrato, é possível também pensar em uma rescisão amigável com a Roma para ficar livre e poder assinar com outro clube.

OMAR ALDERETE
Zagueiro
24 anos
Paraguaio
Hertha Berlim (ALE)

Omar Alderete (Hertha Berlim) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Zagueiros paraguaios andam fazendo sucesso no Brasil nos últimos anos. Fabián Balbuena foi um dos destaques do Corinthians na segunda metade da década passada e, atualmente, Gustavo Gómez e Júnior Alonso são pilares das defesas de Palmeiras e Atlético-MG, respectivamente. Por isso, os times nacionais deveriam dar uma olhada no banco de reservas do Hertha Berlim. Lá, vão encontrar Alderete, um defensor que está na temporada de estreia na Alemanha depois de brilhar no Basel. Apesar de ter contrato até 2025, o paraguaio deve estar louco para arranjar logo outro time para defender, já que não quer correr risco de perder o espaço na seleção que a passagem pelo futebol suíço lhe proporcionou.

SANTIAGO ASCACÍBAR
Volante
24 anos
Argentino
Hertha Berlim (ALE)

Santiago Ascacíbar (Hertha Berlim) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Chamado de "novo Mascherano" quando iniciou a carreira no Estudiantes, o volante se transferiu para a Alemanha quando tinha 20 anos e vinha evoluindo, ainda que em ritmo lento, até ser contratado pelo Hertha Berlim, no meio da temporada passada. Na capital germânica, o argentino emendou uma série de problemas físicos, viu seu futebol estagnar e passou a frequentar o banco de reservas. Com contrato até 2024, Ascacíbar tem totais condições de se recuperar física e tecnicamente e voltar a aparecer nas convocações da seleção. Mas, para isso precisa de um projeto para recolocar a carreira no lugar. Por isso, passar um ano emprestado a algum time sul-americano para ganhar mais ritmo de jogo e competitividade pode ser uma saída bem interessante.

RAMIRO FUNES MORI
Zagueiro
30 anos
Argentino
Villarreal (ESP)

Ramiro Funes Mori, do Villarreal - Efe - Efe
Imagem: Efe

Com mais de 25 jogos pela seleção argentina no currículo e participação nas duas últimas edições da Copa América, Funes Mori é outro jogador que, assim como Bacca, perdeu espaço no Villarreal e virou um alvo viável para os clubes brasileiros. Na atual temporada, o zagueiro só disputou cinco partidas do Campeonato Espanhol (e nove de competições em que seu clube escalou basicamente reservas). Funes Mori tem contrato até 2022, o que torna possível um empréstimo ou mesmo um encerramento antecipado de vínculo. Já trintão, ele talvez ache interessante a chance de voltar à América do Sul e reconstruir sua carreira por aqui.