PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Por onde andam 7 brasileiros que dirigiram seleções gringas em Copas?

Zico, ex-seleção japonesa, hoje é diretor-técnico do Kashima Antlers - Giuseppe Cacace/AFP
Zico, ex-seleção japonesa, hoje é diretor-técnico do Kashima Antlers Imagem: Giuseppe Cacace/AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

26/06/2020 04h20

Nas duas últimas edições da Copa do Mundo, a seleção brasileira era a única treinada por um brasileiro. Mas, do ponto de vista histórico, essa exclusividade está bem distante de ser uma regra.

Principalmente durante as décadas de 1990 e 2000, o que não faltavam nos Mundiais eram times estrangeiros (sobretudo, os asiáticos) dirigidos por técnicos do futebol mais vitorioso do planeta.

O "Blog do Rafael Reis" relembra abaixo sete treinadores nascidos no Brasil que dirigiram seleções de outros países em Copas do Mundo e mostra o que cada um deles anda fazendo da vida atualmente.

ZICO
67 anos
Japão (2006)

Zico - Masashi Hara/Getty Images - Masashi Hara/Getty Images
Imagem: Masashi Hara/Getty Images

Maior jogador da história do Flamengo, o Galinho dirigiu a seleção japonesa durante quatro anos, período no qual se sagrou campeão asiático de 2004. No Mundial de 2006, encontrou-se com o Brasil na fase de grupos e despediu-se da competição com um empate e duas derrotas. Sua última experiência como treinador, no indiano FC Goa, terminou em 2016. Há dois anos, Zico ocupa o cargo diretor-técnico do Kashima Antlers, clube japonês no qual foi marcou época como jogador e também teve uma rápida passagem pelo banco de reservas.

RENÉ SIMÕES
67 anos
Jamaica (1998)

Renê Simões - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Renê Simões
Imagem: Reprodução/Facebook

Sempre lembrado pela frase "estamos criando um monstro" dirigida a Neymar, quando era técnico do Atlético-GO lá no fim da década passada, Simões teve uma experiência para lá de alternativa em Copas do Mundo. Foi ele o técnico da única aparição da seleção Jamaica na competição, em 1998. Afastado dos bancos de reservas já há alguns anos, o treinador fará parte da equipe do reality show futebolístico "Uma Vida, Um Sonho", programado para ser exibido pelo SBT ainda neste ano. Além disso, ele administra uma rede de restaurantes.

LUIZ FELIPE SCOLARI
71 anos
Portugal (2006)

Felipão - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação - Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

O treinador do pentacampeonato mundial brasileiro e também do 7 a 1 também teve uma experiência "estrangeira" em Copas. Em 2006, ele conduziu Cristiano Ronaldo, Luís Figo e companhia até a quarta colocação no Mundial da Alemanha, segunda melhor campanha da história da seleção de Portugal na competição. Felipão está parado desde o começo de setembro do ano passado, quando foi demitido do Palmeiras, clube pelo qual havia se sagrado campeão brasileiro em 2018.

CARLOS ALBERTO PARREIRA
77 anos
Kuwait (1982), Emirados Árabes Unidos (1990), Arábia Saudita (1998) e África do Sul (2010)

Carlos Alberto Parreira - Michael Steele/Getty Images - Michael Steele/Getty Images
Imagem: Michael Steele/Getty Images

Parreira trabalhou como treinador em nada menos que seis edições da Copa do Mundo e por cinco seleções diferentes. Campeão em 1994 com o Brasil, esteve à frente do escrete canarinho também em 2006. Além disso, dirigiu Kuwait, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e África do Sul. Mas com nenhuma dessas equipes estrangeiras conseguiu passar da primeira fase (em 1998, chegou a ser demitido pelos sauditas durante a competição). Coordenador técnico da seleção em 2014, Parreira decidiu se aposentar do futebol depois do fiasco do 7 a 1 e hoje se dedica a um dos seus principais hobbies, a pintura.

PAULO CÉSAR CARPEGIANI
71 anos
Paraguai (1998)

Carpegiani - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

O técnico do título mundial conquistado pelo Flamengo em 1981 fez bonito à frente do Paraguai no fim da década de 1990. Em 1998, Carpegiani comandou a equipe guarani na do Mundo e só foi eliminado pela anfitriã e campeã França na prorrogação das oitavas de final. Depois do bom trabalho na seleção sul-americana, ele rodou bastante pelo futebol brasileiro e dirigiu times como São Paulo, Corinthians e novamente o Fla. Seu trabalho mais recente foi no comando do Vitória, no segundo semestre de 2018.

ALEXANDRE GUIMARÃES
60 anos
Costa Rica (2002 e 2006)

Alexandre Guimarães - Stu Forster/Allsport - Stu Forster/Allsport
Imagem: Stu Forster/Allsport

Assim como Zico, o treinador também teve a oportunidade de enfrentar o país onde nasceu em um Mundial. Em 2002, a Costa Rica dirigida por Guimarães foi goleada por 5 a 2 pela seleção do penta, no último jogo da fase de grupos. Na Copa seguinte, em 2006, o alagoano voltou a dirigir o time da nação pela qual se naturalizou e, mais uma vez, foi eliminado na primeira fase. Desde o ano passado, ele comanda o América de Cali, da Colômbia, adversário de Grêmio e Internacional na fase de grupos da Libertadores deste ano.

MARCOS PAQUETÁ
61 anos
Arábia Saudita (2006)

Marcos Paquetá - Thiago Ribeiro/AGIF - Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Campeão mundial sub-17 e sub-20 com a seleção brasileira, passou longe de ter a mesma eficiência quando estreou na Copa do Mundo dos adultos. Em 2006, sua Arábia Saudita foi a lanterninha do Grupo H e foi embora da Alemanha com apenas um ponto ganho em três partidas. Apesar de ter dirigido Avaí e Botafogo, Paquetá passou a maior parte de sua carreira de técnico trabalhando no "mundo árabe". Desde o ano passado, ele dirige o Al-Muharraq, maior campeão do futebol do Bahrein.