PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Seleção dos mais caros do mundo vale R$ 7,4 bi; Neymar é o único brasileiro

Neymar comemora a classificação do PSG para as quartas de final da Liga dos Campeões - REUTERS
Neymar comemora a classificação do PSG para as quartas de final da Liga dos Campeões Imagem: REUTERS
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

20/03/2020 04h00

Único país pentacampeão mundial de futebol e maior vencedor da história dos prêmios de melhor jogador do planeta, com oito vitórias na eleição anual da Fifa, o Brasil só tem um representante na seleção dos atletas mais caros da atualidade.

Pelo segundo ano consecutivo, Neymar está sozinho na relação elaborada pelo "Transfermarkt", site especializado na cobertura do Mercado da Bola internacional.

E, desta vez, o camisa 10 do Paris Saint-Germain quase ficou de fora. Avaliado em 160 milhões de euros (R$ 886,4 milhões), 20 milhões de euros a menos que doze meses atrás, o astro empatou com o inglês Raheem Sterling, do Manchester City.

Os dois dividem o lado esquerdo do ataque dessa seleção que reúne o jogador mais caro de cada posição, na avaliação do "Transfermarkt". O time, escalado no 4-2-3-1, vale nada menos que 1,33 bilhão de euros (R$ 7,4 bilhões), um crescimento de 6% em relação a 2019.

Vencedora da última Copa do Mundo, a França é o país mais representado, com quatro atletas: o zagueiro Raphaël Varane (Real Madrid), os meias N'Golo Kanté (Chelsea) e Paul Pogba (Manchester United), além do atacante Kylian Mbappé (PSG).

Mbappé, aliás, é o jogador mais caro da atualidade. Seu preço estimado atual é de 200 milhões de euros (R$ 1,1 bilhão), o mesmo do ano passado.

Além da França, apenas a Inglaterra tem mais de um nome na seleção do mundo: o lateral direito Trent Alexander-Arnold (Liverpool) e Sterling (Manchester City), que "divide a vaga" com Neymar.

O restante do time dos mais caros da atualidade é formado por um esloveno (Jan Oblak), um belga (Kevin de Bruyne), um holandês (Virgil van Dijk), um escocês (Andrew Robertson) e um egípcio (Mohamed Salah). O primeiro defende o Atlético de Madri, o segundo joga no City e os outros defendem o Liverpool.

Quando pensamos em uma espécie de "time reserva" dos mais valiosos de 2019/20, aí um surge um outro brasileiro, o goleiro Alisson (Liverpool). Essa seleção B conta ainda com Achfraf Hakimi (MAR), Matthijs de Ligt (HOL), Aymeric Laporte (FRA) e David Alaba (AUT); Saúl Ñíguez (ESP) e Frenkie de Jong (HOL); Lionel Messi (ARG), João Félix (POR) e Neymar/Sterling; Harry Kane (ING).

Dos 11 atletas escalados neste ano (na verdade 12, por causa do empate de Neymar), cinco não estavam na seleção de 2019. Oblak, Van Dijk, Varane, Kanté, De Bruyne e Mbappé, além do camisa 10 brasileiro, são os remanescentes da temporada passada.

CONHEÇA A SELEÇÃO DOS MAIS CAROS DO MUNDO (POR POSIÇÃO)

G - Jan Oblak (ESL, Atlético de Madri) - 100 milhões de euros
LD - Trent Alexander-Arnold (ING, Liverpool) - 110 milhões de euros
Z - Virgil van Dijk (HOL, Liverpool) - 100 milhões de euros
Z - Raphaël Varane (FRA, Real Madrid) - 80 milhões de euros
LE - Andrew Robertson (ESC, Liverpool) - 80 milhões de euros
MC - Paul Pogba (FRA, Manchester United) - 100 milhões de euros
MC - N'Golo Kanté (FRA, Chelsea) - 100 milhões de euros
MAD - Mohamed Salah (EGI, Liverpool) - 150 milhões de euros
MAC - Kevin de Bruyne (BEL, Manchester City) - 150 milhões de euros
MAE - Neymar (BRA, Paris Saint-Germain) ou Raheem Sterling (ING, Manchester City) - 160 milhões de euros
A - Kylian Mbappé (FRA, Paris Saint-Germain) - 200 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt

Rafael Reis