PUBLICIDADE
Topo

Cansada, família de garoto do Ninho está perto de aceitar acordo com o Fla

Torcedores do Flamengo e faixa de protesto contra postura de diretoria no episódio - Bruno Braz / UOL
Torcedores do Flamengo e faixa de protesto contra postura de diretoria no episódio Imagem: Bruno Braz / UOL
Mauro Cezar Pereira

Mauro Cezar Pereira nasceu em Niterói (RJ) e é jornalista desde 1983, com passagens por vários veículos, como as Rádios Tupi e Sistema Globo. Escreveu em diários como O Globo, O Dia, Jornal dos Sports, Jornal do Brasil e Valor Econômico; além de Placar e Forbes, entre outras revistas. Na internet, foi editor da TV Terra (portal Terra), Portal AJato e do site do programa Auto Esporte, da TV Globo. Trabalhou nas áreas de economia e automóveis, entre outras, mas foi ao segmento de esportes que dedicou a maior parte da carreira. Lecionou em faculdades de Jornalismo e Rádio e TV. Colunista de O Estado de S. Paulo e da Gazeta do Povo, desde 2004 é comentarista dos canais ESPN.

11/05/2020 14h03

O Flamengo está perto de fechar acordo com mais uma família de vítima do incêndio no Centro de Treinamentos Ninho do Urubu, ocorrido em 8 de fevereiro do ano passado. O blog apurou que, mais de 15 meses depois da morte dos dez meninos, os familiares de um deles estão "cansados de tamanho desgaste" e propensos a aceitar a proposta feita pelo clube.

Até agora, três famílias e meia chegaram a acordos com os dirigentes rubro-negros. Uma delas está marcada por uma situação no mínimo inusitada, pois os pais do atleta são separados, ele aceitou a proposta, mas a mãe não. No período da pandemia, praticamente não houve contato entre Flamengo e familiares até então, como o blog informou no dia 8 de maio.

Paralelamente, a juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri, do Tribunal de Justiça, do Fórum Regional da Barra da Tijuca, convocou o presidente Rodolfo Landim para uma audiência presencial de conciliação, informou o jornal O Dia. Segundo a publicação, ela acontecerá após o período de quarentena na cidade do Rio de Janeiro.

Mauro Cezar Pereira