PUBLICIDADE
Topo

Marcel Rizzo

Novas datas de transferência: veja quando seu time poderá contratar em 2021

Alan Empereur, jogador contratado pelo Palmeiras na janela de novembro de 2020 - Cesar Greco
Alan Empereur, jogador contratado pelo Palmeiras na janela de novembro de 2020 Imagem: Cesar Greco
Marcel Rizzo

Marcel Rizzo - Formado em jornalismo em 2000 pela PUC Campinas, passou pelas redações do Lance!, Globoesporte.com, Jornal da Tarde, Portal iG e Folha de S. Paulo, no qual editou a coluna Painel FC. Cobriu Copas do Mundo, Olimpíada e dezenas de outros eventos esportivos.

Colunista do UOL

16/11/2020 11h54

A pandemia ainda afetará a janela internacional de transferências em 2021 e o Brasil terá datas diferentes das habituais para os clubes contratarem jogadores de fora do país no ano que vem.

A Fifa reservou duas janelas para o Brasil em 2021, a primeira de 12 semanas e a segunda de quatro, conforme estabelece o regulamento da entidade para negociações internacionais: a primeira será de 1º de março a 23 de maio e a segunda de 1º a 30 de agosto.

São períodos diferentes dos normalmente usados. A praxe no Brasil é a primeira janela, de 12 semanas, entre o fim de janeiro e o fim de abril e a segunda, de quatro semanas, de 1º a 30 de julho.

A mudança ocorreu para acomodar o calendário ajustado depois da paralisação dos torneios no país devido à Covid-19. A temporada 2020 só terminará no fim de fevereiro, com o encerramento do Brasileirão. A CBF informou a Fifa que a temporada 2021 terá início em 28 de fevereiro, com os Estaduais, quatro dias depois de acabar o Brasileiro em 24 de fevereiro.

Os clubes teoricamente montarão seus times para a temporada 2021 a partir de março, e não janeiro, por isso o atraso da janela de transferências do início de ano em dois meses. A do meio do ano também foi ajustada para estar mais próxima do calendário europeu.

A janela de transferências internacional para o Brasil em 2020 ficou entre 20 de julho e 10 de agosto, um complemento ao período que foi aberto no início do ano (entre janeiro e abril) e acabou prejudicado pelos efeitos da pandemia do coronavírus, e entre 13 de outubro e 9 de novembro, que substituiu o cancelado entre 1º e 30 de julho.

Essas datas são apenas para negociações internacionais, não contempla transações dentro do Brasil que podem ser feitas a qualquer momento desde que respeitem os prazos de inscrições para as competições que estão sendo disputadas. Atletas sem contrato também podem fechar a qualquer momento, mesmo que o último clube tenha sido algum de fora do país.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.