PUBLICIDADE
Topo

Vitor Guedes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quando João Pedro e Júnior Moraes são as opções, vencer não é uma opção!

só para assinantes
Vitor Guedes

Vitor Guedes é jornalista e professor universitário pós-graduado em Português, Língua e Literatura pela UMESP, autor do livro "Paixão Corinthiana", com passagens por Jovem Pan, Lance!, Site do Corinthians, BandNews FM, Agora São Paulo, FAPSP e UNG. Com Copas do Mundo, Mundial Libertadores, Brasileiros e dezenas de Paulistas no currículo, Vitor Guedes é 1977, pai do Basílio, ZL e, atualmente, é colunista do UOL Esporte e comentarista do Baita Amigos no Bandsports

Colunista do UOL

28/06/2022 23h26Atualizada em 29/06/2022 00h19

O 0 a 0, com direito a pênalti perdido por Róger Guedes e outro claro não assinalado, complicou a situação corinthiana. Agora, o Timão, que perdeu Fagner e Willian machucados, vai ter que recuperar Du Queiroz , Renato Augusto, Maycon, além de Fagner e Willian, e fazer uma partida perfeita na Bombonera para fazer o que não conseguiu na Neo Química Arena e sair classificado às quartas de final na Libertadores.

Sem poder contar com os vetados Maycon, Du Queiroz, Renato Augusto, Gil, Mosquito e Rafael Ramos, além do absurdamente suspenso Cantillo, Vítor Pereira foi obrigado a recorrer a Roni na cabeça de área, formando o meio-campo com Giuliano. Adson, partindo da ponta para a meia, e Mantuan, fazendo o caminho inverso, se esforçaram para preencher o setor e chegar à frente para dialogar com Willian e Róger Guedes.

Com o lateral Fagner funcionando como um terceiro zagueiro, Piton jogou mais como ala e o desenho corinthiano alternou, atacando muitas vezes no 3-4-3 e defendendo no 5-4-1.

O Boca Juniors, como sempre acontece, mostrou mais organização e futebol que na fase de grupos e veio com o objetivo de desacelerar o jogo e não se deixar pressionar na Neo Química Arena.

O Corinthians poderia ter saído na frente se Róger Guedes não recuasse para Rossi, de forma ridícula e telegrafada, a cobrança do pênalti sofrido por Mantuan. E poderia também ter ido em desvantagem não fosse o milagre à Cássio em arremate de Benedetto.

Sem Fagner, que sentiu uma lesão, VP voltou com Bruno Méndez e manteve a formatação tática E, logo no reinício, o 1 a 0 não saiu após jogadaça de cinema de Willian porque faltou, primeiro para Giuliano, depois para Mantuan, capricho na finalização.

O Corinthians continuou melhor e Adson sofreu outro pênalti claro, desta vez ignorado tanto pelo árbitro quanto pelo VAR. O time azul e "Amarilla" é forte nos bastidores... E a torcida, racista, voltou a protagonizar cenas lamentáveis e, para a surpresa de zero pessoas, um torcedor argentino foi preso por fazer gestos racistas...

Em campo, o Corinthians teve mais uma grande chance desperdiçada por Adson, o Boca também assustou Cássio e o 0 a 0 prevaleceu até o final. Willian ainda deslocou o ombro, mas fez questão de ficar mais um pouco, até que precisou ser substituído por Fábio Santos. A prova que o placar não iria ser alterado foi quando João Pedro e Júnior Moraes entraram nos lugares de Adson e do vaiado Róger Guedes. Quando as opções são João Pedro e Júnior Moraes, a verdade é que vencer deixou de ser uma opção! Não se trata a uma crítica a VP, mas o misto entre o azar do número de lesões e o fato de o elenco envelhecido e desequilibrado ter sido muito mal montado.

O Corinthians não está eliminado, mas, como não fez o dever de casa, o favoritismo agora é todo do Boca Juniors.

Antes da volta contra o Boca, terça, na Bombonera, o Corinthians visita o Fluminense, sábado, no Maracanã, pelo interminável Campeonato Brasileiro de pontozzz corridozzz.

A análise completa de Corinthians x Boca Juniors e as notas de VP e de seus comandados você confere, comigo e Ricardo Perrone, na Live do Corinthians no UOL Esporte.

Eu sou o Vitor Guedes e tenho um nome a zelar. E zelar, claro, vem de ZL! É nóis no UOL!

Veja:

E me siga no Twitter e no Instagram.

Quem mandou matar Marielle? E por quê?

Justiça para Dom Phillips e Bruno Pereira!