PUBLICIDADE
Topo

Pole Position

Perez anuncia saída da Racing Point e deixa caminho aberto para Vettel

Sergio Perez no paddock do Circuito da Catalunha, na Espanha - Racing Point/Divulgação
Sergio Perez no paddock do Circuito da Catalunha, na Espanha Imagem: Racing Point/Divulgação
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

09/09/2020 15h35

O mexicano Sergio Perez anunciou que está deixando a Racing Point ao final desta temporada da Fórmula 1, depois de sete anos com o time. A saída do piloto deixa as portas abertas para o time, que se chamará Aston Martin a partir do ano que vem, contratar o alemão Sebastian Vettel, que ficou sem vaga depois de não ter o contrato renovado com a Ferrari.

Em comunicado publicado em suas mídias socias, Perez afirmou que "tudo tem um começo e tem um fim, e depois de sete anos meu ciclo com a equipe chega ao fim quando a temporada acabar. Do lado pessoal, dói porque apostei muito na equipe nos momentos difíceis. Conseguimos seguir adiante e sinto-me orgulhoso de ter salvado o trabalho de muitos de meus companheiros."

Perez refere-se ao pior momento da ex-Jordan e ex-Force India, quando a situação financeira ruim devido ao bloqueio de bens do ex-proprietário Vijay Mallya, que passava por processo judicial na Índia, fez com que muitos salários ficassem atrasados. Em meados de 2018, o piloto foi fundamental para que o time entrasse em processo de administração, dentro do qual foi comprado por um consórcio liderado pelo bilionário Lawrence Stroll.

O canadense, então, começou o plano de reestruturação do time e, do ponto de vista de marketing, apostou na compra de ações da Aston Martin para ter o controle da marca britânica e usar seu nome para mudar toda a identidade visual do que hoje é a Racing Point. Isso vai acontecer a partir do ano que vem.

Este é mais um capítulo em uma animada dança das cadeiras na Fórmula 1 para 2021, que começou com a saída de Vettel da Ferrari, o que gerou uma série de confirmações em maio deste ano, antes mesmo de a temporada 2020 começar. Carlos Sainz ficou com a vaga de Vettel, Daniel Ricciardo vai para a McLaren no lugar de Sainz, e Fernando Alonso voltará ao grid depois de dois anos, no lugar de Ricciardo. Lewis Hamilton deve renovar com a Mercedes e Valtteri Bottas já foi confirmado no time no ano que vem.

Como Max Verstappen já estava confirmado na Red Bull, Charles Leclerc na Ferrari, e a Williams também vai continuar com a mesma dupla, restam poucas vagas para o ano que vem. Alfa Romeo, Haas, AlphaTauri ainda não divulgaram seus pilotos, e ainda resta a confirmação da segunda vaga na Red Bull e, agora, na Aston Martin.

Perez salvou a equipe em 2018

Inicialmente, Perez fazia parte deste projeto e tinha assinado, ano passado, por mais três temporadas com o time. No entanto, com a presença de Vettel no mercado, foram iniciadas as especulações sobre uma possível ida do alemão à Aston Martin em 2021. Agora, com o anúncio de Perez, acredita-se que é uma questão de tempo para que Vettel seja confirmado ao lado de Lance Stroll.

No comunicado, Perez segue dizendo que fica "com as lembranças dos grandes momentos que vivi junto da equipes, as amizades e a satisfação de sempre ter dado o melhor de mim. Estarei sempre agradecido pela oportunidade que Mallya me deu, acreditando em mim em 2014 e permitindo com que eu continuasse minha carreira com a Force India. E desejo à atual administração o melhor dos êxitos no que está por vir, em especial dentro do projeto com a Aston Martin."

Para o mexicano, que diz querer dar aos fãs "boas notícias dentro de pouco tempo", não devem faltar vagas no grid, uma vez que ele é o piloto que mais conquistou pódios por times do meio do pelotão no atual grid e também conta com fortes patrocinadores. Ainda assim, ele diz não ter um plano B. "Minha intenção é continuar aqui [na F1], mas sempre se for apresentado a mim um projeto que me motive a continuar dando 100% em todas as voltas."

A equipe se pronunciou apenas meia hora depois do piloto, com o chefe Otmar Szafnauer dizendo que "Checo se tornou um dos pilotos mais completos do grid: muito rápido aos sábados e, aos domingos, ele estabeleceu uma reputação como um piloto tenaz e, juntos, vivemos momentos fantásticos. Se havia qualquer chance de pódio, Checo estava lá para se aproveitar, e os cinco pódios que ele conquistou pela equipe representam alguns dos melhores dias da história deste time."

Perez vem tendo uma temporada bastante irregular em 2020 e marcou menos pontos que o companheiro Stroll, bem menos experiente, até aqui. O anúncio, inclusive, vem dias depois de que Stroll marcou o primeiro pódio do time como Racing Point, no GP da Itália. Além disso, o mexicano foi o único piloto que testou positivo para coronavírus até aqui na temporada da F1, perdendo as duas corridas realizadas em Silverstone. Ele é 11º no campeonato, enquanto Stroll é o quarto.