PUBLICIDADE
Topo

Pilotos da F-1 gravam vídeo de manifestação antirracista; 7 não se ajoelham

Pilotos protestam contra o racismo antes do GP da Inglaterra, em Silverstone - Divulgação
Pilotos protestam contra o racismo antes do GP da Inglaterra, em Silverstone Imagem: Divulgação
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

02/08/2020 10h04

As manifestações antirracistas finalmente tiveram adesão total na Fórmula 1. Em um trabalho organizado e liderado por Lewis Hamilton, os pilotos gravaram um vídeo com palavras que incentivam a luta contra o racismo e pela igualdade de todos. As imagens foram exibidas, hoje, na transmissão oficial do GP da Grã-Bretanha, pouco antes da largada.

Pilotos da F-1 gravam vídeo de manifestação antirracista

Os pilotos também se reuniram no grid de largada de uma forma mais organizada. A maioria ficou ajoelhada, mas sete deles optaram por ficar de pé -um a mais em relação ao GP da Áustria, na abertura da temporada 2020. Todos eles usaram a camiseta com a expressão "Fim ao Racismo". A exceção foi Lewis Hamilton, que tinha a frase "Black Lives Matter" (Vidas Negras Importam), que marca as manifestações antirracistas ao redor do mundo.

Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Carlos Sainz, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat, que já não haviam se ajoelhado antes do GP da Áustria, ganharam a companhia do dinamarquês Kevin Magnussen.

Essa manifestação em conjunto só foi possível graças a uma conversa entre Hamilton e Romain Grosjean, presidente da associação de pilotos, nesta semana. O francês era alvo de criticas do piloto inglês por não ter dado o engajamento necessário às manifestações depois da primeira corrida, o GP da Áustria. Em todas as três etapas, houve problemas de falta de comprometimento dos pilotos na hora do protesto.

"Foi uma conversa muito boa. Expliquei para o Lewis que achei que estava fazendo o certo porque havia 7 ou 8 pilotos que não queriam continuar a fazer a manifestação da maneira como estávamos fazendo. Ainda espero que todos possamos nos ajoelhar juntos e acho que um dia chegaremos lá. Temos de continuar a educá-los e a mostrar que é um gesto de bons esportistas e uma maneira de apoiar a causa, pois é algo que não deveria existir", afirmou Grosjean durante a semana.

Após essa reunião, que também envolveu o chefão da Fórmula 1, Chase Carey, e o presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), Jean Todt, ficou decidido que haveria mais tempo para a manifestação com os pilotos ajoelhados no grid de largada. E de fato aconteceu.

Na primeira corrida do ano, houve espaço para a manifestação, mas os holofotes se voltaram para os pilotos que se negaram a se ajoelhar: Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Carlos Sainz, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat. Posteriormente, nos GPs da Estíria e da Hungria, os protestos também aconteceram, porém de forma dispersa. Em Hungaroring, por exemplo, Antonio Giovinazzi chegou à manifestação sem a camiseta "Fim ao Racismo". E também não houve sincronia entre eles, já que muitos nem haviam chegado ao grid enquanto Hamilton já estava ajoelhado.

Fotos do GP da Grã-Bretanha de Fórmula 1

Embora engajados com o movimento, nem todos os pilotos se mostraram confortáveis no ato de se ajoelhar. Durante a semana, Raikkonen, Giovinazzi, Sainz e Verstappen se defenderam ao dizer que cada um tem direito de se manifestar do jeito que achar melhor.

Kevin Magnussen, que foi um dos que se ajoelharam na corrida inaugural da temporada 2020, afirmou que não gostaria que esse ato fosse ligado a movimentos políticos. "Minha posição é muito clara: sou totalmente a favor de promover a inclusão e acabar com o racismo. Acho isso ótimo e é muito bom que estamos colocando isso em discussão e quero participar disso. Mas não quero que se torne político. É difícil para eu entender como minhas ações estão sendo interpretadas pelos outros. Realmente não quero ser visto como alguém que apoia grupos ou organizações que eu não apoio", afirmou o piloto da Haas durante a semana.

Veja como foram as frases dos pilotos no vídeo gravado e exibido antes da corrida:
Lewis Hamilton - Eu não vou ficar em silêncio
Valtteri Bottas - Eu estou comprometido com a luta pela igualdade para todos
Carlos Sainz - Eu estou totalmente comprometido com a luta contra o racismo
Lewis Hamilton - Eu não vou ficar em silêncio contra discriminação racial e a desigualdade
Max Verstappen - Eu acredito que todo mundo deveria ser tratado em igualdade
Kevin Magnussen/Antonio Giovinazzi/Romain Grosjean/Lance Stroll - Eu fico de pé em solidariedade
Pierre Gasly - Na luta contra o racismo
Carlos Sainz - Eu estou totalmente comprometido na luta contra o racismo
Charles Leclerc - Eu acredito que todo mundo tem de fazer parte na luta pela igualdade
Nico Hulkenberg - Eu sou parte do movimento para lutar por um futuro melhor para todos
Alexander Albon - Vamos todos fazer nossa parte
Daniil Kvyat - Vamos todos fazer nossa parte
Nicolas Latifi - Vamos todos fazer nossa parte
Valtteri Bottas - Vamos todos fazer nossa parte
George Russell - Para dar um fim ao racismo
Daniel Ricciardo - Igualdade para todos
Sebastian Vettel - Então vamos todos ficar de pé para fazer todos verem a beleza disso
Kimi Raikkonen - Eu levanto
Esteban Ocon - Contra o Racismo
Sergio Pérez - Eu sou parte do movimento para lutar por um futuro melhor para todos
Lando Norris - Vamos todos fazer nossa parte para dar um fim ao racismo

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.