PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Pole Position


Em negociações com Mercedes, Hamilton se vê "por mais 2 ou 3 anos" na F1

Lewis Hamilton posa para fotos no circuito de Silverstone - Steve Etherington/Daimler AG
Lewis Hamilton posa para fotos no circuito de Silverstone Imagem: Steve Etherington/Daimler AG
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

31/07/2020 04h00

Lewis Hamilton está negociando a extensão de seu atual contrato com a Mercedes, que vai até o final deste ano. E deu a deixa da duração de seu novo acordo em entrevista concedida em Silverstone, na Inglaterra, que será palco da quarta etapa do campeonato. O hexacampeão, que tem grandes chances de igualar os sete títulos de Michael Schumacher e passar o alemão em número de vitórias e pódios, falou em fazer mais "duas ou três temporadas".

O piloto de 35 anos, que corre em casa neste final de semana, disse que a pandemia do coronavírus inclusive o ajudou a estar mais motivado para continuar por mais tempo.

"Essa questão de quanto tempo ainda vou correr é incerta. Eu diria que toda essa situação do covid e o tempo que ficamos sem correr foi muito negativo por uma porção de coisas, mas positivo no sentido que pudemos focar em outras coisas, e dar uma parada foi importante para eu poder respirar um pouco. Foi algo que renovou minha energia para, talvez, correr por mais tempo", afirmou Hamilton, que é o líder do campeonato de 2020 depois de três etapas.

"No final das contas, eu quero me manter no mesmo nível em que estou agora, mas vai chegar um ponto em que o lado físico ou mental vai pesar. Não sei quando isso vai acontecer, mas não vejo isso acontecendo a curto prazo ou nos próximos dois ou três anos."

Hamilton indicou ainda que gostaria de ver outro piloto negro aparecendo no esporte antes que ele se aposentasse, mas disse que o principal fator para sua decisão será sua performance. "Não há nenhum piloto de origem semelhante à minha chegando na F1, e tenho consciência disso. Ao mesmo tempo, quero merecer estar aqui. Quero sentir que não estou no grid por causa dos campeonatos que ganhei no passado, mas porque eu mereço. Então eu me vejo aqui por pelo menos dois ou três anos."

Depois de anos de forte renovação, o grid da F1 hoje tem, em sua maioria, pilotos com menos de 26 anos, ao mesmo tempo em que Fernando Alonso está se preparando para seu retorno, aos 39, e Kimi Raikkonen, que faz 41 em outubro, ainda não decidiu se segue na categoria.

Pole Position