PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Pole Position


Após perder patrocinador, Williams mostra nova pintura para temporada 2020

Pintura do carro da Williams na temporada 2020 da F1 - Divulgação
Pintura do carro da Williams na temporada 2020 da F1 Imagem: Divulgação
Julianne Cerasoli

Fã de Fórmula 1 desde a infância, Julianne Cerasoli nasceu em Bragança Paulista (SP) e hoje vive em Londres (Inglaterra). Atua como jornalista desde 2004, tendo trabalhado com diversos tipos de mídia ao longo dos anos, sempre como repórter esportiva e com passagem como editora de esportes do jornal Correio Popular, em Campinas (SP). Cobrindo corridas in loco na Fórmula 1 desde 2011, começou pelo site especializado TotalRace e passou a colaborar para o UOL Esporte em 2015, e para sites e revistas internacionais. No rádio, é a repórter de Fórmula 1 da Sistema Bandeirantes de Rádio desde 2017, e também faz participações regulares no canal Boteco F1, o maior dedicado à categoria no YouTube. Em 2019, Julianne criou o projeto No Paddock da F1 com a Ju, na plataforma Catarse, em que busca aproximar os fãs da Fórmula 1 por meio de conteúdo on demand e podcast exclusivo com personagens da categoria. Neste espaço: Única cobertura in loco de toda a temporada da Fórmula 1 na mídia brasileira, com informações de bastidores, entrevistas exclusivas, análises técnicas e uma pitada de viagens.

Colunista do UOL

26/06/2020 05h05

Depois de perder a patrocinadora principal e anunciar que está à venda, a Williams mostrou nesta sexta-feira sua nova pintura para esta temporada da Fórmula 1. Era esperado um carro predominantemente azul, cor tradicional da equipe, mas as imagens divulgadas mostram uma predominância de branco.

Williams 2020 - Divulgação - Divulgação
Williams lançou o carro com pintura vermelha, mas depois mudou por fim de contrato com patrocinador
Imagem: Divulgação

Apesar do momento complicado, que vem depois de o time, que é um dos mais vitoriosos da história da F1, ter ficado em último lugar no mundial pelos últimos dois anos, a chefe da equipe em exercício, Claire Williams, garantiu que a equipe tem o orçamento para esta temporada.

O rompimento com a patrocinadora máster veio depois que a empresa RoKit não ter pago nenhuma das parcelas que deveria à equipe neste ano. A associação com a marca, que tinha começado ano passado, havia originalmente mudado a pintura do carro do tradicional azul para o vermelho durante os testes de pré-temporada. A Williams, contudo, não chegou a fazer nenhuma corrida oficial com ela, já que a pandemia do coronavírus atrasou o início da temporada, que será dia 5 de julho.

Para 2020, a Williams contará com o badalado George Russell, que faz sua segunda temporada na F1 e é cotado para ser companheiro de Lewis Hamilton na Mercedes no ano que vem, e com o estreante canadense Nicholas Latifi, que vem do vice-campeonato da F2 ano passado e traz consigo o aporte financeiro da família de bilionários do setor alimentício.

Williams 2020 frontal - Divulgação - Divulgação
Imagem frontal do carro da Williams para a temporada 2020
Imagem: Divulgação

É justamente pela injeção financeira da família Latifi que a Williams não estaria em uma situação financeira tão complicada como o fato de o time ter sido colocado à venda sugere. O diretor técnico da F1, Ross Brawn, inclusive, afirmou que a equipe teria "compradores sérios" interessados. Há a possibilidade, ainda, de a família Williams manter parte das ações da empresa.

Outro fator que aponta para uma recuperação da Williams é o pacote de mudanças que entram em vigor na Fórmula 1 nos próximos anos, como o teto de gastos para as equipes e o escalonamento de desenvolvimento aerodinâmico dependendo da posição do campeonato, ou seja, os últimos colocados poderão desenvolver mais seus carros do que os primeiros.

Pole Position