PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

CT para Arthur Zanetti treinar fica enfim pronto, com seis anos de atraso

Centro de Excelência da Ginástica, em São Caetano do Sul - Divulgação/Governo Federal
Centro de Excelência da Ginástica, em São Caetano do Sul Imagem: Divulgação/Governo Federal
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

10/05/2022 04h00

Arthur Zanetti, então campeão olímpico das argolas, ameaçava se naturalizar por outro país, por falta de estrutura para treinar em São Caetano do Sul (SP), quando o governo federal e a prefeitura municipal se comprometeram a construir um CT digno dos seus feitos. Contratado só dois anos depois, em setembro de 2015, o Centro de Excelência da Ginástica deveria ficar pronto em outubro de 2016, pouco depois da Rio-2016, quando ele tentaria o bicampeonato olímpico.

Aquela promessa não foi cumprida, nem as que foram feitas na sequência. Agora, parece que vai. No fim da semana passada, o governo federal deu como concluídas as obras do CT de dois andares. Agora, a prefeitura promete que, em até 30 dias, o local, na Avenida Kennedy, estará pronto para ser o novo local de treinamento de Arthur Zanetti e das equipes de ginástica artística e ginástica rítmica da cidade.

A demora foi tanta que quase não atendeu ao seu propósito inicial: servir como um confortável local de treinamento para Arthur Zanetti brilhar entre os melhores do mundo, incentivando novos atletas em São Caetano e no Brasil como um todo. O campeão olímpico de 2012 foi prata em 2016 e pretendia se aposentar após Tóquio-2020. Mudou de planos por causa da pandemia, que adiou os Jogos no Japão e deixou mais curto o ciclo até Paris.

"É claro que, como qualquer outro espaço bem estruturado, poderia ter me ajudado. Mas, acima de tudo, estou feliz de ter participado desse processo e espero que ele se torne logo um polo importante para o nosso esporte e de inclusão a novos praticantes da modalidade. Esse é o sentimento agora", disse Zanetti, à coluna.

O tom conciliatório é muito diferente da postura indignada demonstrada pelo Instagram no início do ano passado, quando ele e o técnico Marcos Goto cobraram da prefeitura a entrega da obra e Zanetti teria ouvido que não havia feito nada por São Caetano. "Quem está presente no ginásio vê as crianças me dizendo que sou exemplo para elas e muitas dizem que começaram a treinar por minha causa. Isso é mais importante do que qualquer estrutura física que possa ser construída na cidade", afirmou em uma publicação.

Inscreva-se para receber a newsletter do Olhar Olímpico. Toda segunda-feira no seu e-mail com o que de mais importante acontece no esporte olímpico do Brasil. É grátis!

Na ocasião, Goto reclamava que o ginásio já estava pronto, mas a prefeitura não o autorizava a sequer entrar no local construído, na prática, para ele treinar atletas. Os alunos da escolinha e a equipe de alto rendimento do Goto, que defendem o SERC/Santa Maria, clube da cidade, treinam em uma estrutura acanhada e quente da AGITH, a seis quarteirões de onde fica o ainda inoperante Centro de Excelência.

Foram investidos no local R$ 7,2 milhões (em valores de 2015) pelo então Ministério do Esporte e outros ao menos R$ 1,9 milhão (em valores de 2020) pela prefeitura de São Caetano, que ainda vai equipar o CT para treinamentos da ginástica artística no primeiro andar e de ginástica rítmica no segundo. A expectativa é que mais de 700 atletas, desde crianças ao alto rendimento, treinem no novo centro de excelência a partir do meio do ano.

'É uma vitória da ginástica e, em especial, para o povo de São Caetano. O espaço será importante não somente para nós, atletas de alto rendimento, mas também para as futuras gerações que terão à disposição uma estrutura de primeiro nível", completou Zanetti.