PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Nike rescinde contrato e não vestirá skatistas brasileiros em Tóquio

Confederação Brasileira de Skate apresenta uniformes para Tóquio - Divulgação
Confederação Brasileira de Skate apresenta uniformes para Tóquio Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

10/02/2021 18h50

Faltando menos de seis meses para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) anunciou que os atletas brasileiros não irão vestir uniformes da Nike na competição. O acordo foi rompido de forma unilateral pela empresa norte-americana, de acordo com a confederação.

Um ano atrás, Nike e CBSk anunciaram que a produção de um uniforme diferente para o time brasileiros. Na estreia da modalidade no programa olímpico, os skatistas do Time Brasil iria vestir camisetas multicoloridas representando o Rio de Janeiro - ainda que, ao que tudo indica, nenhum dos atletas que vão à Olimpíada seja do Rio.

O design e as ilustrações do uniforme foram desenvolvidos pelo também skatista holandês Pieter Janssen, mais conhecido como Piet Parra. Ele também desenhou, para a Nike, os uniformes da França e dos Estados Unidos. Essas roupas só seriam utilizadas durante as competições. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) tem como fornecedora de uniforme a Peak, que veste os atletas brasileiros de todas as modalidades antes e depois das competições.

Ontem a CBSk soltou nota à imprensa informando que a Nike "alegou que a descontinuidade do cumprimento das obrigações contratuais é decorrente dos prejuízos causados pelo adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020".

"A entidade manifesta que por todo o período da parceria fez questão de evidenciar de todas as formas o vínculo com a citada marca, cumprindo todas as cláusulas contratuais e que, desde o início da pandemia, buscou alternativas para a continuidade, entendendo o momento de dificuldade global. A CBSk lamenta a decisão da empresa a poucos meses do início das Olimpíadas e comunica que vem trabalhando em soluções para tais equipamentos/uniformes para o time brasileiro", disse a CBSk.

A Nike também tem contratos, no Brasil, com as confederações de basquete e atletismo, mas esses acordos seguem válidos para os Jogos de Tóquio, de acordo com a empresa, que não comenta contratos.