PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Ex-braço direito de Neymar é reeleito presidente da Confederação de Skate

Bob Burnquist e Duda Musa - juliodetefon/CBSk
Bob Burnquist e Duda Musa Imagem: juliodetefon/CBSk
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/11/2020 20h34

Eduardo Musa, ex-braço direito de Neymar, foi reeleito hoje (13) para ser presidente da Confederação Brasileira de Skate (CBSk) no próximo ciclo-olímpico, até 2024, com ampla margem — a votação acabou 23 x 6. O resultado, porém, é contestado na Justiça pela chapa de oposição, encabeçada por Rodil Junior, o Ferrugem, primeiro brasileiro campeão dos X-Games, em 1996.

A tentativa de impugnação se deu porque o candidato a vice na chapa de Eduardo (conhecido como Duda), Carlos Eduardo Dias, não teria apresentado certidão negativa de quitação de dívidas trabalhistas. Os opositores encontraram diversas dívidas que estariam em nome dele e, na falta de certidão, ele não poderia ser candidato, impugnando a chapa toda.

Na terça (10), a chapa de Ferrugem entrou na Justiça de São Paulo tentando impugnar a chapa, mas hoje o juiz Ju Hyeon Lee rejeitou o pedido de liminar. No seu despacho, ele reconheceu a "verossimilhança" do pleito, mas argumentou que o caso poderia ser julgado com calma, após a manifestação da CBSk, e que a chapa poderia ser cassada depois da eleição.

Antes da votação, em um hotel em São Paulo, a oposição tentou impugnar a chapa, mas a comissão eleitoral também rejeitou. Os advogados de Ferrugem reclamaram que não tiveram acesso às supostas certidões apresentadas por Beck.

Duda Musa, que não tem histórico no skate, foi inicialmente eleito para ser vice-presidente da confederação, quando Bob Burnquist liderou uma espécie de intervenção na entidade, que tinha pouca relevância no cenário nacional. Com Bob, a CBSk foi reconhecida pelo COB e passou a gerir uma vitoriosa seleção brasileira.

Cansado da política interna e do conflito com interesses pessoais, Bob renunciou ao cargo em meados do ano passado, seguindo, porém, apoiando o presidente agora reeleito. Antes de dirigir o skate, confederação que se tornou das mais importantes do país, Duda foi assessor pessoal de Neymar, sócio de seu pai e considerado o braço direito da família do atacante, entre 2011 e 2015. Em 2018 a Folha revelou que ele fechou um acordo para receber R$ 3 milhões da família Neymar para encerrar uma disputa trabalhista.