PUBLICIDADE
Topo

Após futebol, Covas anuncia reabertura de clubes e do CT Paraolímpico

8.jun.2020 - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), em coletiva de imprensa sobre o anúncio de medidas de combate ao coronavírus - Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo
8.jun.2020 - O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), em coletiva de imprensa sobre o anúncio de medidas de combate ao coronavírus Imagem: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

27/06/2020 11h53

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSBD), anunciou na manhã deste sábado (27), em evento fechado, autorização para reabertura dos clubes sociais e do Centro de Treinamento Paraolímpico assim que a capital entrar na terceira fase do Plano São Paulo, a chamada fase amarela. Isso vai acontecer na próxima quarta-feira, dia 1º de julho.

A data é a mesma na qual os clubes de futebol da primeira divisão do Campeonato Paulista poderão voltar a treinar na cidade, como já havia sido anunciado pelo prefeito e pelo governador João Doria (PSDB). Em todos os casos, é um recuo à rigidez anteriormente anunciada. Há exatamente um mês, no dia 27 de maio, o governo paulista dizia outra coisa.

"Lugares que concentram aglomeração de pessoas ou lugares que tenham práticas esportivas, incluindo treinamentos, sejam em ambiente aberto ou fechado, somente serão liberados com protocolos na 'Fase 5 - Normal Controlado'", disse o governo Doria na ocasião. Um mês depois, clubes e o CT Paraolímpico vão reabrir, com autorização do prefeito e consentimento do governador.

Em evento neste sábado, Covas disse que os clubes sociais, na verdade, não precisariam estar fechados. "Suas áreas comuns já poderiam estar reabertas. Não há proibição em relação a isso. Não é área comercial, não é serviço. Mas mesmo assim eles fizeram questão de vir conversar com a prefeitura", disse ele, elogiando a postura do Sindiclubes, que desde o início de maio pede autorização para reabrir e se reuniu diversas vezes com o governo estadual e municipal neste sentido.

A questão é polêmica porque parques estão fechados e só podem reabrir na fase 5, mas os clubes ficarão abertos para quem quiser entrar neles para simplesmente passear ao ar livre. Atividades físicas seguem proibidas, mesmo em áreas abertas, e as academias precisarão seguir fechadas até que a cidade chegue à fase 4. Mas os clubes poderão reabrir lojas (desde o dia 1º), restaurantes e bares (quando for permitido na cidade).

Já o CT Paraolímpico, na Zona Sul de São Paulo, vai reabrir apenas para atletas de alto rendimento nas modalidades atletismo, natação e tênis de mesa, todas individuais. No primeiro momento somente vão treinar atletas medalhistas em Jogos Paraolímpicos ou Campeonatos Mundiais e atletas que já estejam em São Paulo. Funcionários e demais profissionais que atuam no local diariamente continuarão em isolamento por tempo indeterminado.

De acordo com o CPB, o retorno das atividades acontecerá apenas depois do consentimento dos atletas em relação aos termos de segurança e higienização do CPB e da realização dos testes. Com isso, o início dos treinos está previsto para a segunda quinzena do mês, após cada atleta passar por consulta médica.