PUBLICIDADE
Topo

Por que recordista da maratona correu prova com amadores de Jundiaí

Eliud Kipchoge se prepara para correr com amadores de Jundiaí - Reprodução/Instagram
Eliud Kipchoge se prepara para correr com amadores de Jundiaí Imagem: Reprodução/Instagram
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

08/06/2020 04h00

Quatro amigos de Jundiaí (SP) viveram uma experiência única nesse final de semana, quando disputaram uma competição mundial contra outros 100 mil atletas de todos os cantos do mundo tendo como companheiro de equipe o maior nome da corrida de rua da atualidade, o recordista mundial da maratona Eliud Kipchoge.

A Worldwild Team Relay foi organizada pela NN Running Team, equipe profissional que conta com Kipchoge e muitos outros astros das corridas de rua, em parceria com a plataforma Strava. A proposta era que times formados por quatro corredores corressem uma maratona de revezamento, com cada um deles percorrendo 10,5 quilômetros. Os resultados seriam verificados pela Strava, vencendo a equipe com melhor "pace" médio, medido em minutos para percorrer um quilômetro.

Algumas equipes, por sorteio, receberiam o reforço de um profissional da NN Running Team, e coube à "Sava - Manto Sagrado" a sorte de cair com um deles. O time era formado por Marcelo Campos, Luciano Lucchini, Gil Zanetti e Celso Gonçalves de Oliveira, todos moradores de um mesmo condomínio de Jundiaí e treinados pela assessoria Savazoni Running Team.

"Na véspera da prova, enviamos uma mail para o Kipchoge desejando uma boa prova. Após corrermos, ele enviou um vídeo retribuindo e postou em sua página no Instagram", conta Campos. Ele e os amigos correram dentro do próprio condomínio onde moram, enquanto o queniano está em seu país, depois do adiamento da Maratona de Londres e da Olimpíada de Tóquio.

"Hoje corri para o meu time brasileiro, mas juntos todos corremos como um. Corredores de todo o mundo se juntaram a nós e mostraram como o nosso é um mundo de corrida", postou Kipchoge, no Instagram, depois de correr sua parte do revezamento. O tempo dele, inatingível para amadores, porém, passou longe do esperado para um profissional desse gabarito.

Brasileiros que correram com Eliud Kipchoge - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Até o fechamento desta reportagem, o resultado final não havia sido divulgado, mas os brasileiros já sabiam que não têm chance de ganhar. Mesmo assim, estão felizes, como conta Marcelo Campos: "Fazer parte da equipe dele é surreal. Este dia ficará marcado em minha vida".