PUBLICIDADE
Topo

Pivô do Paulistano é o primeiro atleta com coronavírus no Brasil

Maique, jogador do Paulistano - Divulgação/NBB
Maique, jogador do Paulistano Imagem: Divulgação/NBB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

19/03/2020 10h32

O pivô Maique, do Paulistano, que entrou em quadra pelo NBB no último dia 9 (segunda-feira), é o primeiro atleta brasileiro com confirmação do novo coronavírus. Sem dar seu nome, o tradicional clube da capital só informou ontem (18) pela manhã à Liga Nacional de Basquete (LNB) sobre o resultado positivo para o Covid-19 e que ele tinha previsão de alta hospitalar no mesmo dia. Ele está internado desde domingo.

"O atleta começou a apresentar tosse leve e falta de ar no dia 13 de março (sexta). No dia 15 de março (domingo) o atleta se sentiu febril pela manhã e foi encaminhado imediatamente ao Pronto Socorro do Hospital Beneficência Portuguesa, onde foi isolado e submetido a uma série de exames. O resultado positivo do teste para Covid-19 foi liberado no início da noite de 17 de março", informou o Paulistano. Ele recebeu alta ontem à noite.

O clube também comunicou que todos os jogadores, comissão técnica e funcionários do clube ligados ao basquete que tiverem contato próximo ao atleta entraram em quarentena seguindo "rigidamente" as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Quando os primeiros sintomas apareceram, na sexta, o NBB ainda estava sendo realizado normalmente. Naquele dia a liga decidiu que apenas fecharia portões. Pressionada, voltou atrás no domingo, depois de quatro partidas sem público.

Mas a Unifascisa voltou a jogar, no próprio domingo, contra o São Paulo. Informados só ontem do risco, os jogadores e os membros da comissão técnica do time paraibano foram colocados em quarentena e estão isolados, ainda que nenhum deles tenha tido sintomas. "Todos estão em constante avaliação", disse a assessoria de imprensa. O clube já havia paralisado os treinamentos.

Maique é reserva do Paulistano. Aos 26 anos, o pivô natural de Campos, no Rio, tem média de 7,7 pontos, 5,2 rebotes e 0,6 assistências na temporada. Na carreira ele jogou por Botafogo, Vitória, Liga Sorocabana de Basquete, Macaé e Franca. Na atual temporada ele tem sua melhor média de pontos.

Olhar Olímpico