PUBLICIDADE
Topo

Maratonas são adiadas pelo mundo e só São Paulo mantém corrida

Maratona de São Paulo - Divulgação/Yescom
Maratona de São Paulo Imagem: Divulgação/Yescom
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

13/03/2020 15h12

De todas as maratonas internacionais marcadas para os próximos 30 dias no mundo inteiro, só uma não foi cancelada: a de São Paulo, marcada para o dia 5 de abril. Só nesta sexta-feira (13), duas das mais importantes provas do calendário mundial anunciaram adiamento: a de Boston, que seria em 20 de abril, foi remarcada para 14 de setembro; a de Londres passou de 26 de abril para 4 de outubro. Somadas, as duas reuniriam grande parte da elite da maratona mundial.

A pandemia do Covid-19 há semanas vem obrigando organizadores de provas de rua a cancelarem seus eventos. Diversas maratonas internacionais marcadas para a China foram suspensas ainda em janeiro, medida tomada depois no Japão e na Coreia do Sul. Nos últimos dias, as maratonas europeias, como Roma, Milão, Kiev, Viena e Roterdã também foram canceladas ou adiadas.

A exceção é a Maratona de São Paulo, organizada pela Yescom, que segue com inscrições abertas e não cogita, ainda, a possibilidade de ser suspensa. "Até o momento não recebemos nenhum comunicado por parte da prefeitura, governo ou união com relação ao evento. Sendo assim, seguimos com o cronograma normal de trabalho", disse a empresa.

Procurada, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), que chancela a prova, disse que não tem nada a fazer. "A Maratona Internacional de São Paulo não é um evento de responsabilidade da CBAt. A chancela dada, o permit CBAt, refere-se ao cumprimento das regras internacionais do atletismo. A decisão de realizar ou não cabe exclusivamente aos organizadores. Se o Governo do Estado de São Paulo ou o Governo Federal determinarem que os eventos esportivos não podem ser realizados a CBAt cumprirá imediatamente, mas para os seus eventos. Estamos acompanhando os fatos e definimos que vamos seguir o que determinarem os órgãos públicos, já que apenas eles podem orientar sobre esse tipo de situação", disse a entidade em nota.

A Federação Paulista de Atletismo (FPA) também não fez qualquer recomendação e inclusive mantém uma competição de pista marcada para acontecer amanhã em Bragança Paulista. A outra grande corrida marcada para os próximos dias no estado, a Tribuna 10K, em Santos, só menor que a São Silvestre no país, foi adiada para novembro.

Quem também não pretende cancelar nenhum evento é outra gigante das provas de rua no Brasil, a Unlimited Sports, que manteve uma prova de triatlo da Triday Series em Santos no domingo (15) e que também não vai mexer por enquanto no calendário do Ironman no país. A primeira prova do ano é no dia 26 de abril, em Florianópolis, e costuma receber diversos atletas internacionais.

"Todos os eventos dos circuitos Ironman Brasil e Triday Series continuam confirmados conforme planejado, não havendo nenhuma alteração na programação, até o presente momento. Se por esta eventualidade, alguma medida tiver que ser tomada, divulgaremos oficialmente", comentou a empresa.

Olhar Olímpico