PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

Cerimônia da tocha olímpica será sem público por causa do novo coronavírus

Cerimônia de acendimento da tocha olímpica em Olímpia, na Grécia - COSTAS BALTAS
Cerimônia de acendimento da tocha olímpica em Olímpia, na Grécia Imagem: COSTAS BALTAS
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

09/03/2020 12h16

Um dos momentos mais importantes dos Jogos Olímpicos não poderá ser acompanhado de perto por nenhum espectador. Nesta segunda-feira (9), o Comitê Olímpico Helênico (da Grécia) anunciou que a cerimônia de acendimento da tocha olímpica, na quinta (12), será realizada sem público em medida cautelar contra o novo coronavírus.

A cerimônia, realizada antes de cada edição dos Jogos Olímpicos, simboliza o início da caminhada do "fogo olímpico", que sai de frente ao Templo de Hera, na cidade grega de Olímpia, a partir dos raios solares, percorre algumas cidades da Grécia e depois é levada, em revezamento, até a cidade-sede da Olimpíada.

Em nota, o Comitê Olímpico Helênico disse que realizou reunião hoje para decidir sobre o acendimento da tocha e que, levando em consideração as decisões mais recentes do governo local sobre a proteção da saúde pública, decidiu que a cerimônia será realizada com a presença de apenas 100 convidados credenciados do Comitê Olímpico Internacional (COI) e do Comitê Organizador de Tóquio 2020.

O ensaio geral de 11 de março será fechado ao público e aos jornalistas e as credenciais de imprensa serão "extremamente limitadas" "Instamos os prefeitos das cidades através das quais a Chama Olímpica passará ou ficará durante a noite a seguir as instruções do Ministério da Saúde e da Organização Nacional de Saúde Pública", reforçou o comitê olímpico, que avisou que, dependendo da situação sanitária do país nos próximos dias "tomará decisões com o objetivo de proteger a saúde pública".