PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus faz Esquiva desistir de ir à China tentar título mundial

Retrato do boxeador Esquiva Falcão para a seção "Minha História" - Lucas Lima/UOL
Retrato do boxeador Esquiva Falcão para a seção "Minha História" Imagem: Lucas Lima/UOL
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

23/01/2020 19h53

Esquiva Falcão e sua comissão técnica foram orientados pela agência que cuida da sua carreira a não embarcarem para a Haikou, na China, onde ele lutaria no dia 2, domingo, pelo título mundial da WBC (Conselho Mundial de Boxe). A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do lutador, que horas antes havia anunciado que Esquiva viajaria normalmente. Haikou fica a cerca 1,5 mil quilômetros de Wuhan, epicentro da epidemia do coronavírus.

"Sabemos que é um caso de saúde pública mundial e que os casos estão se espalhando. Mas estamos bem seguros com as garantias dos organizadores da luta sobre a situação. Nós mantivemos a programação e prometo tomar todas as medidas de segurança, desde a saída dos EUA e toda a estadia em Haikou", disse Esquiva, via assessoria, em release enviado à imprensa às 15h.

Cerca de quatro horas depois, a informação foi atualizada. Sempre de acordo com a assessoria, a equipe foi orientada a desistir da viagem para evitar contágio com o coronavírus. Ainda não está claro se será remarcado o confronto contra o chinês Ainiwaer Yilixiati, primeira luta contra um rival de nome na carreira profissional de Esquiva. Em caso de vitória, segundo a Top Rank, ele lutaria depois pelo cinturão permanente dos médios.

Na quarta-feira (22) o Comitê Olímpico Internacional (COI) havia anunciado o cancelamento do Pré-Olímpico de boxe para a Ásia e a Oceania que seria realizado em Wuhan, na China. A epidemia foi detectada pela primeira vez no último mês, em um mercado de frutos do mar localizado na cidade. Desde então, 17 pessoas morreram e os cientistas temem uma possível mutação e propagação desenfreada do vírus.

Olhar Olímpico