PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Volta por cima do Bayern passa por um veterano subestimado

Bayern de Munique já anunciou a renovação de contrato de Thomas Müller - GettyImages
Bayern de Munique já anunciou a renovação de contrato de Thomas Müller Imagem: GettyImages
Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

23/05/2020 15h42

Depois de levar 5 a 1 do Eintracht Frankfurt, o Bayern de Munique decidiu demitir o técnico Niko Kovac. Neste sábado, um turno depois, o Bayern devolveu a goleada, fez 5 a 2 no mesmo adversário e deu sequência a sua volta por cima na temporada.

E uma peça fundamental para a temporada do Bayern é o veterano Thomas Muller. Ele nem é tão veterano assim, tem só 30 anos - é que Muller já está na área faz tempo. Parecia que já não tinha mais nada a dar ao clube, mas reencontrou a forma e a confiança com o técnico Hansi Flick, ex-auxiliar de Low na seleção alemã e, portanto, um cara que conhece bem o potencial de Muller.

As pessoas não dão muita bola para Muller, pois ele não é o mais forte nem o mais driblador nem o mais plástico. É subestimado. É bom em tudo, é o Willian Bigode do futebol alemão, guardadas as proporções. O jogador que todo técnico quer ter. Um facilitador e um dos líderes em assistências no futebol europeu.

A ascensão de Muller indiscutivelmente não fez muito bem a Philippe Coutinho, que, pelo contrário, não é peça fundamental na retomada do clube após a troca de técnico.

Antes da chegada de Flick, Muller havia feito só dois gols na temporada e jogado os 90 minutos em só duas partidas. Depois, já foram 12 jogos como titular sem ser substituído e a retribuição com nove gols. Ele é um ótimo parceiro para Lewandowski, é um jogador dinâmico, um coringa, que pode cair por qualquer lugar do ataque. Já Coutinho é um meia que precisa do jogo passando por ele, o que altera a dinâmica do ataque.

O brasileiro está longe dos gramados por uma cirurgia no tornozelo, dificilmente atuará de novo na atual Bundesliga.

O Bayern era o time mais quente da Europa antes da parada pela pandemia do coronavírus e mantém o ritmo no retorno. Contra o Frankfurt, abriu 3 a 0, deu uma relaxada, levou dois gols, mas, ao apertar de novo, resolveu a parada. Tem armas pelas laterais, pelo meio, é um time alto, forte, veloz. E tem Lewandowski, que não cansa de fazer gols. É o Super Bayern.

Julio Gomes