PUBLICIDADE
Topo

Diego Garcia

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Tite tem maior aproveitamento entre técnicos de países campeões mundiais

Tite deixa a entrevista coletiva após a eliminação da seleção brasileira para a Bélgica na Copa do Mundo - Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images
Tite deixa a entrevista coletiva após a eliminação da seleção brasileira para a Bélgica na Copa do Mundo Imagem: Michael Regan - FIFA/FIFA via Getty Images
Diego Garcia

Repórter desde 2010, passou por Folha de S. Paulo, ESPN, Terra e Placar. Ganhou dois prêmios Aceesp (2014 e 2016) e foi indicado aos prêmios Comunique-se (2019), República (2017, 2018 e 2021), Folha (2018 e 2019) e Fenacor (2020). Cobriu Copa do Mundo, Olimpíadas, Mundial de Clubes e outros grandes eventos. Contato: garciadiegosilva@gmail.com

Colunista do UOL

18/06/2021 04h24

Tite chegou à nona vitória seguida pela seleção brasileira na noite de ontem (17), ao golear o Peru no Engenhão. O treinador alcançou 81% de aproveitamento de pontos no cargo, se consolidando como o técnico com a melhor média de pontos entre os países campeões mundiais.

Logo depois, com dez vitórias seguidas, vem Roberto Mancini, que não é derrotado há 29 partidas pela Itália. Com 34 jogos no comando da seleção tetracampeã mundial, ele triunfou em 25 e perdeu apenas duas vezes, com 80,4% de média. Marcou 85 gols e sofreu 14. Na Eurocopa, os italianos venceram os dois jogos, ambos por 3 a 0, contra Turquia e Suíça.

Entre as potências do futebol, aí contabilizando países que nunca venceram a Copa do Mundo, mas são tradicionais ou vivem bons momentos, Tite só é superado por um treinador. E é justamente Roberto Martínez, da Bélgica, seu algoz no último Mundial. O espanhol tem 83% de aproveitamento à frente dos belgas.

Na Copa do Mundo da Rússia, os dois se encontraram nas quartas de final, quando Martínez levou a melhor, venceu por 2 a 1 e eliminou o Brasil. Caiu na semifinal para a França, mas venceu a disputa pelo terceiro lugar com a Inglaterra. O revés em 2018 foi o único de Tite em uma partida oficial à frente da seleção, que fez 123 gols e sofreu apenas 19 com ele.

Ambos possuem praticamente o mesmo tempo de trabalho: assumiram suas seleções em 2016. E têm quase o mesmo número de jogos: enquanto o brasileiro treinou a seleção 56 vezes, o espanhol liderou os belgas em 58 partidas. Mas o europeu venceu mais: 45 vezes, contra 42 do sul-americano. Os dois foram derrotados quatro vezes cada.

A Bélgica hoje lidera o ranking da Fifa e já venceu suas duas partidas na Eurocopa (3 a 0 sobre a Rússia e 2 a 1 na Dinamarca). O time europeu não perde há 11 jogos, tendo conquistado nove triunfos e dois empates no período. O Brasil de Tite, por sua vez, soma nove vitórias consecutivas.

O aproveitamento dos técnicos das principais seleções do mundo

Roberto Martinez - Bélgica - 83% (58 jogos)
Tite - Brasil - 81% (56 jogos)
Roberto Mancini - Itália - 80,4% (34 jogos)
Didier Deschamps - França -72,5% (114 jogos)
Gareth Southgate - Inglaterra - 70% (55 jogos)
Joachim Low - Alemanha - 70% (195 jogos)
Fernando Santos - Portugal - 70% (85 jogos)
Kasper Hjulmand - Dinamarca -70% (14 jogos)
Luis Enrique - Espanha - 68% (24 jogos)
Frank de Boer - Holanda - 64% (13 jogos)
Lionel Scaloni - Argentina - 64% (28 jogos)
Oscar Tabarez - Uruguai - 58% (181 jogos)

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL