PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Seleção brasileira acha ataque animador, mas Tite precisa encaixar Vini Jr

Lucas Paquetá, Neymar e Raphinha dançam em comemoração de gol da seleção brasileira contra a Coreia do Sul - Chung Sung-Jun/Getty Images
Lucas Paquetá, Neymar e Raphinha dançam em comemoração de gol da seleção brasileira contra a Coreia do Sul Imagem: Chung Sung-Jun/Getty Images
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

02/06/2022 09h56

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

A seleção brasileira teve uma boa criação de jogadas ofensivas na vitória contra a Coreia do Sul por 5 a 1 nesta quinta-feira (2). O time mostrou rapidez na hora de sair com a bola, conseguiu tabelar na frente da área do adversário e foi muito travado em faltas. Mas a questão que fica no momento é: onde vai entrar Vini Jr?

O jogador do Real Madrid é provavelmente o melhor brasileiro na Europa e precisa ter um espaço neste time. Hoje, ele não começou jogando porque chegou de viagem no último dia 31 e ainda teve dificuldades de se encontrar no fuso da Coreia, mas quando estiver em sua melhor forma, merece ser titular.

No jogo de hoje, o ataque foi envolvente com toques rápidos, invertidas precisas e dribles que quebravam a retranca da Coreia. Paquetá caia pela esquerda, mas também jogou no meio e sempre entrava na área quando Neymar estava mais recuado. Raphinha foi dor de cabeça o tempo inteiro para a defesa adversária, iniciou a jogada do primeiro gol e levantou as arquibancadas.

Richarlison fez o papel de referência, mas também saia da área dependendo da jogada e fez o seu quarto gol em três jogos, mostrando que merece a confiança de Tite. A questão é que diante de tanta velocidade lá na frente, o jogador do Everton perde espaço, apesar de não deixar de ser uma ótima alternativa para determinados estilos de adversário.

Apesar dessa boa fase do Pombo com a camisa da seleção, foi ele o substituído. E aí o ataque ficou sem um jogador de referência, reforçando a necessidade de Neymar e Lucas Paquetá entrarem na área e até mesmo de Fred. Esses dois últimos merecem destaque pelas ótimas atuações, assim como Alex Sandro, que participou diretamente de três gols.

O time apresentou falhas defensivas, especialmente nas costas de Daniel Alves e na jogada de gol dos donos da casa com um pivô em cima de Thiago Silva. Mas ao menos na parte ofensiva, a geração de "perninhas rápidas" como disse Tite já deixou claro que deve dar trabalho para os adversários. E ainda faltam Antony e Gabriel Martinelli, sem nem contar o gol de Gabriel Jesus. É a tal dor de cabeça boa que o comandante gosta tanto de ter.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter, no Instagram e no TikTok