PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Copa do Nordeste vai lançar coleção de NFTs com lances da competição

Bahia venceu Ceará e foi campeão da Copa do Nordeste 2021 - MARLON COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Bahia venceu Ceará e foi campeão da Copa do Nordeste 2021 Imagem: MARLON COSTA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

17/12/2021 09h00

A Copa do Nordeste vai anunciar hoje (17) que comercializará lances da competição em formato de NFTs. A novidade antecipada pelo blog começa em um valor de pouco mais de R$ 5,50 e poderá variar de acordo com a procura por cada ativo.

NFT significa Token Não Fungível (da sigla em inglês) e é um especial de token criptográfico que pode representar diferentes coisas, como fotos, vídeos e desenhos. A grande atração é que essa nova tecnologia é colecionável e é exclusivo. Ou seja, o dono de um NFT será o único a ter aquele momento, como se fossem obras de arte.

Assim, a Lampions vai se tornar a primeira competição de futebol do mundo a criar colecionáveis, usando seus lances desta forma. Isso só é possível pelo fato de a Copa do Nordeste centralizar os direitos e a produção de vídeos.

A comercialização começa a partir desta sexta-feira, dia 17, através da plataforma de NFTs da Binance, a maior corretora de criptoativos do mundo. Serão oito vídeos, entre gols, defesas e comemorações que ficaram marcadas na história do torneio.

"A Copa do Nordeste sempre foi inovadora. No ano passado, fizemos a primeira transmissão do mundo no Tiktok e agora estamos muito animados em estrear os colecionáveis NFTs em vídeo nas competições de futebol. Queremos que os interessados no universo de criptoativos também acessem as emoções da Lampions" explicou Mauricio Portela, sócio da LiveMode, parceira da Liga do Nordeste.

O especialista em marketing esportivo, Bruno Maia, explica que o futebol brasileiro chegou ao limite para gerar novas receitas e que o caminho virtual é uma grande possibilidade para aumentar as receitas.

"É uma mudança cultural. O esporte não está desconectado, é apenas mais uma indústria em que os ativos digitais estão sendo inseridos. É algo parecido com o que aconteceu no fim da década de 90 com a evolução da internet. Nessa época, nem todas as pessoas entendiam o que era um site ou um e-mail. Alguns clubes começaram primeiro, mas todos em algum momento tiveram que criar seus próprios sites", explicou ele que é autor do livro Inovação é o Novo Marketing.

Siga também as opiniões de Danilo Lavieri no Twitter e no Instagram