PUBLICIDADE
Topo

Caoa Chery adia 480 demissões em Jacareí até janeiro, diz sindicato

Divulgação
Imagem: Divulgação

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo

11/05/2022 12h21Atualizada em 11/05/2022 12h32

As cerca de 480 demissões de funcionários diretos da fábrica da Caoa Chery em Jacareí (SP) estão suspensas até janeiro, segundo anunciou na manhã de hoje (11) o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

De acordo com a entidade, foi negociado com a empresa um programa de cinco meses de layoff (suspensão temporária de contrato) a partir de 1º de junho, mais três meses de estabilidade.

  • O UOL Carros agora está no TikTok! Acompanhe vídeos divertidos, lançamentos e curiosidades sobre o universo automotivo.

Os trabalhadores estão em licença remunerada desde o dia 21 de março, quando as atividades na fábrica foram paralisadas, e aprovaram a proposta em assembleia nesta quarta-feira. Procurada por UOL Carros, a Caoa Chery apenas informa que "continua em negociação" com o sindicato.

Devido ao acordo, todos os trabalhadores continuam recebendo seus salários integralmente até janeiro de 2023, além de manterem os planos de saúde. Durante o layoff, parte da remuneração é paga com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador), complementa o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região.

"A suspensão das demissões foi uma grande vitória. Agora, vamos dar um novo passo e exigir a permanência da Caoa Chery em Jacareí. Estamos iniciando uma campanha nacional contra o fechamento da montadora. Também defendemos a estatização da fábrica", diz Weller Gonçalves, presidente do sindicato, segundo o qual as demissões vão representar a perda de R$ 53 milhões em massa salarial circulando na cidade.

No setor de autopeças, o impacto deve ser de R$ 37 milhões. Os dados são do Ilaese (Instituto Latino-americano de Estudos Socioeconômicos), afirma a entidade.

A Caoa Chery anunciou na quinta-feira passada (5) a paralisação na produção em Jacareí e a demissão de funcionários para realizar uma adequação da respectiva linha de produção para futuramente montar veículos híbridos e elétricos - cujo início está previsto para 2025.

Enquanto isso, a montadora diz que vai intensificar a produção da sua outra unidade industrial, localizada em Anápolis (GO) e que hoje é responsável pela fabricação da maioria dos modelos da marca.

Siga o UOL Carros no

"Anápolis está sendo preparada para novos lançamentos já no segundo semestre de 2022. Com isso, a Caoa Chery mantém sua meta de comercializar 60 mil unidades no mercado nacional em 2022", diz nota enviada para a reportagem.

A unidade de Jacareí produzia os modelos Arrizo 6 e Tiggo 3X, que deixam de ser fabricados no Brasil. O primeiro continuará disponível via importação da China, enquanto o segundo por ora sai de linha, cerca de um ano após seu lançamento

Especialistas consultados por UOL Carros afirmam que o fechamento da fábrica no interior paulista estava previsto desde o fim de 2017, quando a Caoa adquiriu metade da operação brasileira da chinesa Chery.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de UOL Carros.