PUBLICIDADE
Topo

De Nivus a Strada: carros "somem" e espera por zero km chega a 150 dias

Nova Fiat Strada 2021 - Divulgação
Nova Fiat Strada 2021
Imagem: Divulgação

José Antonio Leme

do UOL, São Paulo (SP)

04/02/2021 03h00

A vida de quem busca um carro zero km não está tão fácil quanto possa parecer, ou ao menos não quem busca alguns modelos específicos. Para alguns carros, e não necessariamente um lançamento, a espera pode chegar a 150 dias, ou seja, 5 meses para colocar o carro escolhido na garagem.

Na Volkswagen, quem busca por uma Saveiro tem o recorde de 150 dias de espera. Se a picapinha não é uma novidade, o SUV compacto Nivus é, e nesse caso, a espera de novos clientes por uma unidade chega a até 120 dias.

Um concessionário, que prefere não se identificar, disse: "é difícil explicar para o cliente que o carro que ele pediu e inicialmente teria espera de 60 ou 90 dias, agora vai demorar 5 meses para ser entregue". Com desânimo, complementou: "o pior é que as vezes o cliente acaba indo para a concorrência".

No caso da Saveiro, ainda que não seja um lançamento recente, a picape é um dos carros fortes da VW no segmento de vendas diretas para CNPJ, microempresários e produtores rurais, que tem a possibilidade de comprar com descontos.

Hoje, quem foge da Saveiro pelos 150 dias, vai cair em um fosso parecido na única concorrente do mercado, a Fiat Strada. Sucesso de vendas desde seu lançamento no meio de 2020, a picape tem fila de espera de 120 dias. É a maior espera da marca italiana, ainda que seja um mês menor que da rival da VW.

Se você estiver mais abastado, pode talvez optar pela picape maior, a Toro. Nesse caso, a espera mínima na fila vai ser de 30 dias, segundo a Fiat. Em uma tabela mais baixa de preços, Mobi e Argo, os modelos de entrada da Fiat, têm espera de até um mês para receber seu carro após o pedido ser faturado.

Pandemia ainda afeta a entrega de carros

A demora na entrega de determinados modelos ainda é um efeito da pandemia, com a parada de toda a cadeia de produção e também da redução de pessoal para poder preservar a vida dos funcionários e evitar novas contaminações. Assim, faltam itens primários para a produção de carros, como aço, por exemplo.

Se falta aço, faltam também componentes eletrônicos e outros itens na produção. "Se a demanda está voltando a crescer, o movimento de estabilização de toda a cadeia ainda não aconteceu e deve demorar para se equiparar", disse uma fonte.

Um concessionário expressou sua frustração: "mesmo quando nós explicamos ao cliente que vai demorar porque faltam peças ou componentes para produzir por conta da pandemia, que parou tudo no mundo, ele não entende isso e fica indignado com a necessidade de esperar mais do que o previsto ou quando descobre qual vai ser o período de espera.