PUBLICIDADE
Topo

GM: incentivo do governo de SP ajuda em busca por competitividade do setor

General Motors - Fábrica em São Caetano do Sul (SP) - Divulgação
General Motors - Fábrica em São Caetano do Sul (SP)
Imagem: Divulgação

André Ítalo Rocha

Da Agência Estado, em São Paulo

08/03/2019 18h33

Resumo da notícia

  • João Doria anunciou o programa Incentivauto, que dará descontos de até 25% no ICMS
  • Para chegar ao desconto máximo, empresa terá de investir ao menos R$ 10 bilhões
  • GM era uma das empresas que estava insatisfeita com os custos no país

A General Motors (GM) afirmou em nota que o incentivo fiscal anunciado hoje pelo governo do Estado de São Paulo vai contribuir na busca da indústria de veículos por competitividade. "A GM entende como positiva a ação do governo do Estado de São Paulo no sentido de fomentar novos investimentos", disse também a empresa.

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira o programa Incentivauto, que dará descontos de até 25% no ICMS para montadoras que apresentarem planos de investir pelo menos R$ 1 bilhão e gerassem no mínimo 400 postos de trabalho no Estado. O desconto só valerá para novos investimentos e será aplicado em vendas de novos produtos lançados pelas marcas.

Para chegar ao desconto de 25%, a empresa terá de apresentar um investimento de pelo menos R$ 10 bilhões.

Os demais detalhes do programa serão divulgados no sábado, 9, em decreto que será publicado pelo governo. No anúncio de hoje, não foi divulgada nenhuma estimativa de impacto fiscal, nem de renúncia nem de arrecadação. O secretário da Fazenda, Henrique Meirelles, ressaltou que o impacto vai depender dos investimentos feitos.

O anúncio desta sexta foi feito um mês e meio após a GM, que tem duas fábricas no Estado e outra no Rio Grande do Sul, sinalizar a funcionários, em um comunicado, que poderia ficar inviável manter a operação brasileira se a empresa tivesse mais um ano de prejuízo em 2019, depois de três anos seguidos no vermelho, apesar de liderar a venda de carros no Brasil.

Após o comunicado, a GM passou a atuar em várias frentes para tentar reduzir custos, em negociações com os governos dos Estados e dos municípios onde está instalada, sindicatos, concessionários e fornecedores. Para convencê-los a ceder, a montadora tem prometido um programa de investimentos no valor de R$ 10 bilhões, para renovar a linha de produtos.