PUBLICIDADE
Topo

Renegade, T-Cross ou Tracker: qual SUV será o mais vendido em 2020?

Rafaela Borges

Rafaela Borges é jornalista automotiva desde 2003, com passagens por Carsale e Estadão. Escreve sobre o mercado de veículos, supercarros, viagens sobre rodas e tecnologia.

Colunista do UOL

03/06/2020 04h00

Jeep Renegade, Volkswagen T-Cross ou Chevrolet Tracker? Qual SUV compacto vai terminar o ano na liderança do segmento? E por que a aposta nesses três modelos?

Há indícios de que a briga não terá outro protagonista além desses. Talvez Nissan Kicks e Hyundai Creta possam correr por fora, mas com pouquíssimas chances.

O Renegade foi o líder de vendas em 2019 e vem conseguindo manter seu status no acumulado de 2020. A primeira posição, no entanto, poderia estar com o T-Cross.

Após um péssimo mês de janeiro, em fevereiro o Volkswagen deu indícios de que decolaria no ranking de vendas. Mas aí veio a pandemia, e as vendas foram tão afetadas que não dá para considerar os meses de março, abril e maio como retrato do mercado.

Até por isso as chances da nova geração do Tracker são menos concretas que a do Jeep e do VW. Mas o modelo entra no páreo porque vem liderando a categoria, mesmo em um contexto distorcido.

Ter sido o primeiro nos últimos dois meses permitiu ao Tracker descontar um pouco a vantagem da concorrência. O carro também está na corrida porque essa é uma briga em que a Chevrolet, marca líder do Brasil, entrou para valer - e para ganhar.

Abaixo, veja quais são as chances de cada um na busca pelo primeiro lugar.

Renegade

O mês de maio teve alta nas vendas de 1,8% em relação ao péssimo abril. A indústria não voltará tão breve ao patamar pré-pandemia. Ainda assim, de agora em diante o resultado será determinante para definir líderes.

O Renegade vem se mantendo bem na primeira posição. Mesmo sem grandes novidades, como a versão PCD do T-Cross e a nova geração do Tracker, o Jeep ainda é o líder.

Além disso, no mês de maio, no qual houve leve recuperação, foi o segundo SUV compacto mais vendido. À frente do Renegade apareceu apenas o Tracker, que vem liderando o segmento no período de pandemia.

Jeep Renegade 2019 - Murilo Góes/UOL - Murilo Góes/UOL
Liderança da Jeep é celebrada, mas Fiat também terá SUV em 2021
Imagem: Murilo Góes/UOL
A vantagem do Renegade ante o segundo colocado no acumulado do ano, T-Cross, não é tão ampla. O Jeep somou 16.618 emplacamentos de janeiro a maio, ante os 15.133 do Volkswagen.

Mesmo com a pequena vantagem, o Jeep terá de batalhar bastante para manter o primeiro lugar, e começará tendo de mostrar serviço em junho. Além disso, há um grande problema para o Renegade. Entre os SUVs, ele é o que mais depende de vendas diretas, e não apenas aquelas feitas pelo público PCD.

O Renegade vai muito bem também nas vendas para frotas de locadoras, que reduziram bastante seu ritmo com a pandemia. Um retorno desse setor aos negócios, por isso, pode ser determinante para o carro garantir seu bicampeonato.

Porém, ele tem a seu favor um trunfo: o que pode ocorrer com o T-Cross daqui em diante.

T-Cross

Sem a pandemia, com um ritmo baixo de vendas e, principalmente, de emplacamentos - a maior parte dos Detrans ainda está fechada -, o T-Cross já estaria na primeira posição do segmento. O ritmo forte de fevereiro deixou isso evidente.

Claro que poderia sofrer queda no ritmo de emplacamentos por causa de um fenômeno de fevereiro. Logo após sua versão PCD bater recorde de vendas, a VW anunciou que essa configuração levaria seis meses para chegar aos clientes.

Mas a pandemia mudou tudo. E, se não deixou o T-Cross cumprir sua escalada à liderança, em contrapartida impediu que o ritmo lento de entregas da versão PCD colocasse em risco suas chances de brigar por ela. O Renegade não disparou na frente, e nenhum modelo conseguiu tirar o Volkswagen do segundo lugar.

Mas a pedra no sapato do T-Cross pode vir de casa. E ela se chama Volkswagen Nivus. Há grande expectativa pela chegada do carro, no fim desse semestre. Embora tenha espaço interno inferior, o novo carro oferece porta-malas superior ao do SUV mais antigo, além de um visual que vem causando repercussão positiva no universo da internet e das redes sociais.

O Nivus, que terá motor 1.0 apenas, promete vir mais barato que o T-Cross. A Volkswagen informou que o novo modelo ficará posicionado entre o Polo e o SUV mais velho. Se isso ocorrer, dividindo espaço nas concessionárias com o modelo lançado em 2019, é bem provável que o novato fique com boa parte dos clientes do candidato à liderança.

As versões mais baratas não são as mais vendidas do T-Cross. Ainda assim, uma queda acentuada em suas vendas será determinante para o modelo não conseguir o primeiro lugar da categoria. A conferir.

Tracker

As vendas quase paralisadas foram o que permitiu à nova geração do Tracker entrar na briga pela liderança. Ao fazer desabarem os emplacamentos de seus concorrentes, a crise deu fôlego ao Chevrolet, que foi lançado bem no meio da pandemia.

Com isso, o modelo conseguiu amenizar a vantagem de três meses de emplacamentos que a concorrência tinha. O antigo Tracker registrava vendas muito baixas, que não ajudariam o novo modelo a entrar na briga.

Nesse contexto distorcido, o modelo da Chevrolet atingiu, em maio, seu segundo mês seguido de liderança do segmento de SUVs compactos. Uma liderança, no entanto, com pouco mais de 1.500 emplacamentos. Há meses em que os modelos mais vendidos da categoria alcançam as 6 mil unidades vendidas.

A vantagem ante o segundo colocado em maio, Renegade, foi de apenas 300 exemplares. Mas, quando se observa o acumulado do ano, o Chevrolet já é o sétimo mais vendido do segmento. Pode parecer pouco, mas é um avanço e tanto para um carro que, na geração anterior, estava fora da lista dos dez mais emplacados.

Este ano, o Tracker soma 7.160 emplacamentos. Ou seja: tem 9,5 mil unidades vendidas de desvantagem para o Renegade e 8 mil para o T-Cross.

Vai ser fácil chegar? Não. E o Tracker, desse trio, é de fato o carro com menos chances de levar o primeiro lugar do segmento no encerramento de 2020. Para alcançar o Renegade, o Chevrolet teria de somar vantagem de 1.580 exemplares por mês de julho a dezembro.

É impossível? Não é. Principalmente quando se olha para os números do Onix e do Onix Plus, carros com os quais o Tracker divide plataforma. Ambos fazem parte de segmentos muito concorridos e têm vantagem avassaladora ante a concorrência.

O Tracker chega com os atributos dos irmãos, dos quais o principal é trazer itens que realmente fazem a diferença no dia a dia - e que a concorrência não tem. Além disso, a rede Chevrolet é ampla e bem avaliada em pesquisas sobre satisfação do consumidor.

Mas, na corrida do Tracker pelo primeiro lugar, a pandemia pode ser também um grande problema. Quanto mais tempo o mercado levar para acelerar o ritmo de crescimento das vendas, mais difícil será para a nova geração do Chevrolet colocar sobre a concorrência a vantagem mensal de que precisa.