Topo

CarnaUOL

Minas Gerais


Mulher trans negra: Ausência da rainha Cristal Lopez comove Carnaval de BH

Em 2018, Cristal desfilou apenas no pré-Carnaval - Leonardo Lima/Clix/Divulgação
Em 2018, Cristal desfilou apenas no pré-Carnaval Imagem: Leonardo Lima/Clix/Divulgação

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em Belo Horizonte

13/02/2018 20h08

O maior símbolo da folia na capital mineira não esteve nas ruas este ano à frente das baterias dos melhores blocos. Cristal Lopez, rainha absoluta do Carnaval de Belo Horizonte, ficou doente às vésperas da folia e segue internada em um hospital da capital mineira, onde se recupera com coroa na cabeça, plumas e paetês, conforme apurou o UOL.

Ela chegou a desfilar apenas no pré-Carnaval do bloco feminista Sagrada Profana. Mulher trans, negra e periférica, Cristal é a própria imagem da retomada do Carnaval democrático e com respeito a todos construído pelo povo da capital mineira.

O Carnaval de Belo Horizonte ressurgiu nos últimos anos devido a um grupo de jovens politizados que resolve recuperar a festa na cidade que era um deserto na folia.

Tanto que, num primeiro momento, foi fortemente reprimido pelo poder público que hoje busca abraçar a festa que celebra recorde de 3,6 milhões de foliões.

Coroada pelo povo

Primeira mulher trans a ter o título de rainha do Carnaval de BH, concedido pelo povo e não pela Prefeitura de Belo Horizonte, Cristal gosta de definir a folia como "uma alegria democrática".

Ela lembra sempre que na festa tabus sociais referentes ao gênero e à orientação sexual ficam mais leves. E que gostaria que fosse assim o ano todo. "Os homens héteros cis que no resto do ano ridicularizam as trans, no Carnaval se vestem de mulher. Por que no Carnaval se respeita todo mundo e depois esse respeito se perde? Fervo não está distante da política", diz ela em um vídeo sobre a folia.

Longe da festa, Cristal foi celebrada nos desfiles dos blocos dos quais é rainha: Garotas Solteiras, Alô Abacaxi, Magnólia, Angola Janga e Cintura Fina. Na Corte Devassa, onde também desfila reinante, foi aclamada também. O cantor Veronez, vocalista da Corte, afirma que a falta da amiga na folia é gigante. "A ausência da Cristal no Carnaval de BH 2018 é muito triste", avalia.

"A Cristal Lopez ser a cara e a rainha do Carnaval de Belo Horizonte só prova que é um Carnaval nascido das pessoas e não das instituições. Porque instituição nenhuma colocaria Cristal como rainha. Só as pessoas foram capazes de fazer isso. Tem coisa mais bonita do que ser aclamada pelo desejo democrático e não por algo imposto por cima?", diz.

"Estamos torcendo pela recuperação de Cristal e prometemos fazer uma festa de Carnaval assim que ela tiver recuperada", avisa Veronez.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor