PUBLICIDADE

Topo

Teve diarreia? Veja alimentos que pioram o problema e o que consumir

iStock
Imagem: iStock

Samantha Cerquetani

Colaboração para o VivaBem

03/09/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Alimentos picantes, leite, café e bebidas alcoólicas podem causar o distúrbio gastrointestinal
  • Quem está com diarreia precisa manter uma dieta equilibrada, ficar hidratado e consumir alimentos leves
  • É fundamental sempre manter bons hábitos de higiene na hora de preparar as refeições e evitar a contaminação alimentar

Quem nunca passou pela sensação desagradável de não conseguir ficar longe do banheiro? A diarreia é um distúrbio do aparelho digestivo que provoca o aumento do número das evacuações e a diminuição da consistência das fezes. Na maioria das vezes, os sintomas duram alguns dias e desaparecem sem qualquer tratamento.

De acordo com Marília Marques, gastroenterologista e professora da UFPB (Universidade Federal da Paraíba), as causas da diarreia variam bastante. "Normalmente, acontecem devido a alterações na motilidade do intestino, inflamações, infecções, desequilíbrio da microbiota intestinal ou por substâncias que não são absorvidas e atraem água do organismo para o intestino", diz.

Além disso, alguns alimentos, quando ingeridos, provocam reações atípicas no sistema imunológico: são reconhecidos como "inimigos" que devem ser combatidos (alergia alimentar) ou não são adequadamente digeridos por uma alteração dos processos de digestão e absorção (intolerância alimentar). Em ambas as condições, a diarreia pode ocorrer.

O problema também surge ao consumir alimentos contaminados. "Alimentos que foram manipulados de forma inadequada ou não foram conservados na temperatura ideal podem ser contaminados por fungos e bactérias. Isso causa uma reação no organismo e sintomas gastrointestinais como diarreias", explica Amanda Viana, nutricionista do HU-UFMA (Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão) da rede Ebserh.

No entanto, comer alimentos específicos também desencadeia o problema, devido a alguns itens encontrados na sua composição. A seguir, veja detalhes de como a dieta causa o distúrbio gastrointestinal e o que os especialistas recomendam consumir nesta situação.

Alimentos que causam ou pioram diarreia

Pimenta - by JBfotoblog/Getty Images - by JBfotoblog/Getty Images
Imagem: by JBfotoblog/Getty Images

Alimentos picantes

Consumir pimenta e outros itens condimentados pode causar sintomas digestivos como diarreias. A responsável por isso é uma substância chamada capsaicina. Uma vez ingerida, em pessoas mais sensíveis exerce ação direta sobre a mucosa do estômago, causando um tipo de queimação.

"Já no intestino delgado, provoca um desequilíbrio da flora intestinal, desencadeando a diarreia que, na grande maioria das vezes, é autolimitada, com duração de um a dois dias", explica Ana Cristina de Sá Teixeira, gastroenterologista do Centro Especializado em Aparelho Digestivo do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

adoçante - iStock - iStock
Imagem: iStock

Adoçantes

Adoçantes, como o sorbitol, provocam diarreias quando consumidos em grandes quantidades. Surgem também sintomas como gases e distensão abdominal. "Eles alteram a flora intestinal e desequilibram as bactérias encontradas no órgão, causando desarranjos intestinais", completa Camila Gomes, nutricionista e professora da PUC-Campinas (Pontifícia Universidade Católica de Campinas).

café - Pixabay - Pixabay
Imagem: Pixabay

Café

Em grandes quantidades, a bebida aumenta os movimentos do intestino e reduz o tempo do trânsito intestinal. Com isso, surgem dores abdominais, flatulências e também diarreias. Isso acontece porque o café tem cafeína e polifenóis. Beber mais de três xícaras por dia já é o suficiente para ter um desarranjo intestinal em algumas pessoas.

Alho - Istetiana/Getty Images - Istetiana/Getty Images
Imagem: Istetiana/Getty Images

Alho e cebola

Tanto o alho quanto a cebola são temperos bastante usados no preparo de alimentos do dia a dia. No entanto, eles contêm alto teor de carboidratos fermentáveis em sua composição. "Em indivíduos mais sensíveis, como aqueles com síndrome do intestino irritável, a presença dos frutanos no intestino delgado aumenta a quantidade de água no órgão, acelera o trânsito intestinal e desencadeia sintomas como dor abdominal, flatulência e diarreia", destaca Marques.

cerveja - iStock - iStock
Imagem: iStock

Bebidas alcoólicas

Dependendo do tipo da bebida alcoólica e da quantidade ingerida, os sintomas digestivos indesejados podem surgir. O álcool acelera o trânsito intestinal, assim como os carboidratos presentes em algumas bebidas alcoólicas. Ocorre um processo de fermentação no órgão, ocasionando gases e diarreia. Além disso, naqueles que consomem bebida alcoólica cronicamente, a má absorção de vitaminas e outros nutrientes piora o quadro diarreico.

leite, copo de leite - iStock - iStock
Imagem: iStock

Leite

O leite de origem animal contém a lactose, que é um carboidrato simples. Para ser absorvido pelo organismo, o carboidrato precisa ser transformado em açúcares mais simples. Esse processo é realizado no intestino delgado por meio da ação de uma enzima (proteína) chamada lactase. Entretanto, algumas pessoas com intolerância à lactose têm deficiência dessa enzima e não a digerem. Assim, há uma fermentação causada pelas bactérias intestinais, levando ao aparecimento de dor abdominal, flatulência e diarreia. "Nesses casos, é preciso excluir o leite e os derivados da dieta para acabar com os sintomas. Também é possível buscar alimentos sem lactose para não comprometer a qualidade da alimentação", complementa Gomes.

Chocolate branco - FotografiaBasica/Getty Images - FotografiaBasica/Getty Images
Imagem: FotografiaBasica/Getty Images

Doces

Para quem ama doce, principalmente os com muito açúcar, é importante saber que ele também acarreta diarreias. Isso porque possui em sua composição a sacarose, um carboidrato simples (açúcar). E para ser absorvido, necessita ser transformada em substâncias menores no intestino delgado. "Quando há um problema nesse processo ocorre a fermentação da sacarose no interior do intestino, levando ao aparecimento de dor e/ou desconforto abdominal, além de diarreias", diz Teixeira. A especialista também reforça que o chocolate ao leite ou branco é rico em açúcar e gordura e quando consumido em excesso altera a flora intestinal e provoca o problema.

Batata frita - Mark Tan/EyeEm/Getty Images - Mark Tan/EyeEm/Getty Images
Imagem: Mark Tan/EyeEm/Getty Images

Alimentos gordurosos e fritos

Esses alimentos, apesar de saborosos, contêm gorduras em excesso. É comum que causem diarreias, uma vez que o corpo não consegue digerir a gordura facilmente. Por isso, a recomendação é evitar ao máximo consumir fast-food como batatas fritas ou hambúrguer.

O que consumir ao ter diarreia?

Quem está com diarreia e outros sintomas gastrointestinais costuma perder o apetite. No entanto, é fundamental manter uma dieta equilibrada com uma boa hidratação, aumentando a ingestão de água, sucos e chás. "De uma forma geral, recomenda-se adotar uma dieta com baixo teor de resíduos e evitar alimentos gordurosos e condimentados, chocolates, cereais integrais, carnes ricas em tecido conjuntivo e leguminosas", indica Marques.

As especialistas reforçam que é importante buscar ajuda médica quando perceber que a diarreia não cessa e vem acompanhada de outros sintomas como febre, desidratação, presença de sangue ou muco nas fezes e número elevado de evacuações diárias (mais de seis vezes ao dia). "Em todos os casos, é necessária uma avaliação médica para o correto diagnóstico. É preciso estabelecer a causa do distúrbio e começar o tratamento pertinente a cada caso", afirma Marques.

O que consumir:

  • Sopas ou caldos de carne, frango ou legumes sem casca;
  • Sucos de frutas (maçã, goiaba e caju);
  • Chás de ervas como camomila ou cidreira;
  • Frutas sem casca;
  • Aveia;
  • Vegetais cozidos;
  • Purês ou batatas cozidas;
  • Arroz branco;
  • Água de coco;
  • Ovos cozidos;
  • Picolés de frutas;
  • Pão ou torrada.

Como prevenir

Em alguns casos, a diarreia pode ser evitada, principalmente ao minimizar o risco de contaminação alimentar. Para isso, é fundamental sempre manter bons hábitos de higiene na hora de preparar as refeições.

A dica principal é lavar bem as mãos antes de preparar a comida. Também é importante ficar de olho na data de validade dos alimentos. Para evitar a contaminação cruzada, use tábuas e pratos separados para carne crua, aves e frutos do mar.

Além disso, é preciso manter na geladeira os alimentos perecíveis. E descongelar os alimentos com segurança na geladeira, na água fria ou no micro-ondas, nunca na pia.

Por fim, não se esqueça de realizar a higienização adequada de folhas verdes, legumes e frutas antes do consumo.