PUBLICIDADE

Topo

O poder dos alimentos

Seu prato torna sua vida mais saudável


O poder dos alimentos

10 alimentos recomendados para quem tem DPOC (e 5 que devem ser evitados)

knape/IStock
Imagem: knape/IStock

Samantha Cerquetani

Colaboração para o VivaBem

13/12/2019 04h00

Resumo da notícia

  • A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é a obstrução progressiva e persistente da passagem do ar pelos pulmões
  • Cerca de 210 milhões de pessoas no mundo têm a DPOC e estima-se que ela se torne a terceira principal causa de morte em 2020
  • Os sintomas iniciais são leves, como tosses, falta de ar, fadiga e dificuldade para realizar atividades físicas
  • Com a escolha dos alimentos corretos, a pessoa com DPOC consegue se manter nutrida e fortalecer o organismo
  • É importante consumir peixes, azeite, ovos, laticínios e nozes
  • É melhor consumir com moderação embutidos e frituras

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é a obstrução progressiva e persistente da passagem do ar pelos pulmões, o que dificulta a respiração. Ela engloba doenças como a bronquite crônica e enfisema pulmonar.

No primeiro caso, há estreitamento das vias aéreas causada por uma inflamação nos pulmões, que ficam cheios de muco e diminuem a passagem de ar. Já quando ocorre devido ao enfisema, acontece à destruição dos alvéolos, que são responsáveis pelas trocas gasosas dos pulmões. É comum que as pessoas desenvolvam as duas condições.

Inicialmente, os sintomas são leves, como tosses, falta de ar, fadiga e dificuldade para realizar atividades físicas. Além disso, as pessoas podem apresentar pigarros e catarros em excesso. Com o tempo, a doença vai progredindo e fica cada vez mais difícil respirar.

Segundo informações da OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 210 milhões de pessoas no mundo têm a DPOC. E estima-se que a doença se torne a terceira principal causa de morte em 2020.

O principal fator de risco da DPOC é o tabagismo —cerca de 85% dos casos ocorrem por causa do cigarro. Mas, também há uma predisposição genética para que essas pessoas desenvolvam a doença, assim como problemas na formação do pulmão. Nesses casos, aumenta-se o risco da perda da função pulmonar.

Geralmente, a doença se manifesta após os cinquenta anos e a pessoa precisa de suporte nutricional para evitar desnutrição, perda da massa muscular e óssea e também para diminuir os riscos de disfagia (dificuldade de engolir).

Quem tem DPOC está mais suscetível a infecções, refluxos e hipertensão. Por isso, precisam ter uma alimentação adequada que forneça energia, nutrientes e proteínas adequadas. Com a escolha dos alimentos corretos, a pessoa com DPOC consegue fortalecer o organismo e melhorar o sistema imunológico.

A seguir, os profissionais Frederico Fernandes, coordenador da Comissão Científica de DPOC da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT); Fernanda Baccelli Garcia, pneumologista e Diego Freire, nutricionista, ambos do Hospital Santa Cruz; Isabella Costa, nutricionista especialista em cardiopneumologia do Incor; Felipe Marques, pneumologista e Lígia dos Santos, nutricionista, ambos da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo; e Luma Kagueyama, nutricionista do Hospital Sírio-Libanês destacam quais alimentos melhoram a qualidade de vida de quem tem a DPOC e aqueles que devem ser consumidos com moderação.

Coloque no prato

Peixe cru em cima de uma mesa - knape/IStock - knape/IStock
Imagem: knape/IStock

Peixes
Consumir peixes como salmão, sardinha e atum ajuda a combater a inflamação crônica do organismo e a melhorar os sintomas da DPOC. Isso ocorre porque esses alimentos são ricos em ômega 3, que possui um papel anti-inflamatório e ajudam a proteger os pulmões.

Óleo/ Azeite - iStock - iStock
Imagem: iStock

Azeite
Por ser fonte de vitamina E, o azeite atua protegendo o organismo contra as ações dos oxidantes liberados pelas células inflamatórias ativadas, limitando a destruição do tecido pulmonar. Além de aumentar as calorias de uma forma saudável. Pode ser adicionado em saladas e em receitas em pequenas quantidades.

Aveia em flocos - iStock - iStock
Imagem: iStock

Aveia
A aveia auxilia o bom funcionamento intestinal de quem tem DPOC, pois retarda o esvaziamento gástrico, o que gera maior saciedade. Possui antioxidantes que aliviam o processo inflamatório e contém zinco que melhora o sistema imunológico. Além disso, contribui na redução do colesterol ruim, o que previne doenças do coração. Sabe-se que algumas pessoas com a DPOC podem também ter problemas cardíacos, como infartos.

Arroz integral - iStock - iStock
Imagem: iStock

Grãos integrais
Assim como acontece com a aveia, os grãos integrais proporcionam maior saciedade devido à quantidade de fibras. Eles ajudam também a reduzir o açúcar do sangue, controlar a glicemia e a reduzir o colesterol ruim do organismo. O que é interessante para pessoas com DPOC que possuem comorbidades (outras doenças) como diabetes, hipertensão ou doenças coronárias.

Banana - iStock - iStock
Imagem: iStock

Banana
Essa fruta é recomendada para quem tem DPOC devido à quantidade de vitaminas, minerais e potássio. Durante o tratamento da doença é necessário à manutenção dos níveis de potássio que ajudam o funcionamento dos brônquios e melhoram a força muscular.

Laticínios; lácteos - iStock - iStock
Imagem: iStock

Laticínios
Durante o tratamento da doença é necessário à manutenção dos níveis de cálcio no organismo. Por isso, alimentos como queijos e leite são importantes para essas pessoas, pois são fontes de cálcio e proteínas. Esses nutrientes ajudam na manutenção da massa muscular e não devem ser evitados.

Uma questão muito importante é sobre a produção de muco e o leite. Há diversas teorias que relacionam o aumento do muco com o consumo do leite, mas não há comprovação científica de que a bebida cause uma secreção excessiva.

Ovo 5 - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Ovos
Consumir ovos é importante para esse grupo de pessoas, pois são fontes de proteína e ajudam na manutenção da massa muscular. A quantidade ideal de proteínas na dieta delas deve ser de 20% do total para restaurar a força muscular e melhorar a função pulmonar. Prefira sempre o ovo cozido e evite as preparações fritas.

Café - iStock - iStock
Imagem: iStock

Café
O café contém antioxidantes polifenólicos e cafeína, que podem contribuir favoravelmente com a função pulmonar. A bebida, desde que consumida com moderação, tem função broncodilatadora, ou seja, promove a dilatação dos brônquios e reduz a fadiga dos músculos respiratórios.

Noz - iStock - iStock
Imagem: iStock

Nozes
A oleaginosa contém boas fontes de ácidos graxos mono e poli-insaturados que são importantes para a saúde e favorecem a redução do colesterol ruim do organismo. Também é fonte de vitamina E, antioxidante que protege o organismo contra inflamações e limita a destruição do tecido dos pulmões.

Soja - iStock - iStock
Imagem: iStock

Soja
Apesar de ser uma leguminosa, a soja é indicada para quem tem DPOC por ser uma boa fonte de proteína. Além disso, possui flavonoides que auxiliam a diminuir a inflamação no pulmão.

Melhor evitar

Sal p&b - iStock - iStock
Imagem: iStock

Sal
Excesso de sal pode causar retenção de líquidos, o que afeta a respiração. Além disso, quem tem problemas cardíacos e DPOC ao consumir sódio em excesso podem forçar o coração a trabalhar mais, o que prejudica o órgão. O consumo elevado de sódio aumenta o risco de hipertensão arterial e doenças no coração e rins.

Lembrando que a maior parte da ingestão do sal vem das refeições e não apenas do saleiro. Por isso, a indicação é usar temperos sem sal e ervas para dar sabor aos alimentos. E também evitar alimentos com muito sódio em sua composição, como temperos prontos.

Salsicha p&b - iStock - iStock
Imagem: iStock

Embutidos e carnes processadas
Alimentos processados como os embutidos não são recomendados, pois possuem alto teor de sódio e nitrito que são prejudiciais a pessoas com DPOC. Além disso, são muito gordurosos.

Um estudo do European Respiratory Journal realizado com 1551 homens e 1391 mulheres do Reino Unido mostrou que consumo de carnes processadas como presunto, carne enlatada, salsichas, entre outros, está associado à piora da função pulmonar, tanto em homens quanto em mulheres.

Bebida alcoólica p&b - iStock - iStock
Imagem: iStock

Bebidas alcoólicas
O álcool também pode diminuir a taxa de respiração e dificultar a tosse com muco. Além disso, bebidas alcoólicas podem interagir com medicamentos, além de aumentar a urina, o que favorece a desidratação.]

Coxinha p&b - iStock - iStock
Imagem: iStock

Frituras
Não é recomendada a ingestão de frituras com frequência, pois esses alimentos possuem alto teor de gordura e podem ocasionar doenças cardiovasculares, além de aumentar a inflamação nos tecidos. Dietas ricas em gorduras aumentam o tempo de esvaziamento gástrico e causam a distensão abdominal piorando a função respiratória (falta de ar). Além disso, na hora de preparar os alimentos, é importante dar preferência óleos vegetais como: girassol, canola e soja.

Pimenta p&b - iStock - iStock
Imagem: iStock

Alimentos condimentados
Consumir alimentos condimentados podem aumentar os refluxos gastroesofágicos das pessoas com DPOC. Isso acontece quando há o retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago, que causa mal-estar. Esse problema é comum do quadro da doença, principalmente quando ocorrem exacerbações dos sintomas, ou seja, piora da doença que pode levar a internações. Por isso, esse tipo de alimento deve ser evitado.

O poder dos alimentos