Topo

Corrida

Mais força, boa postura e respiração: saiba como o pilates ajuda na corrida

Atividades complementares como o pilates ajudam a melhorar o desempenho e proteger o corpo de lesões na corrida - iStock
Atividades complementares como o pilates ajudam a melhorar o desempenho e proteger o corpo de lesões na corrida Imagem: iStock

Luiza Vidal

Colaboração para o VivaBem

13/09/2019 04h00

Nem só de treinos de corrida vive um corredor. Especialmente quando falamos de atletas amadores, que muitas vezes foram sedentários em boa parte da vida ou passam muitas horas do dia na cadeira, investir em atividades complementares é importante para diminuir fraquezas musculares, fortalecer as articulações, melhorar a postura e deixar o corpo bem preparado para suportar todo o impacto proporcionado pelas passadas.

E um grande aliado para isso é o pilates, que tem como foco o trabalho do core e traz muitos benefícios para a saúde física. Com duas a três sessões semanais já é possível obter melhorias na corrida com a prática --que geralmente são sentidas a partir de dois a três meses de treinos regulares. A seguir, mostramos os principais ganhos que você pode ter com o pilates.

Equilíbrio do corpo

Cada pessoa tem seu jeito de correr: alguns forçam mais a perna direita, outros pisam mais com o calcanhar. Em longo prazo, certos desequilíbrios podem acabar sobrecarregando uma articulação e gerar lesões. O pilates, nesse caso, é um ótimo aliado para manter os dois "lados" do nosso corpo em harmonia e amenizar as sobrecargas da corrida em uma região. Isso porque fortalece o core (região formada pelos músculos do quadril, da lombar e do abdome), responsável por estabilizar o corpo durante o movimento.

Condicionamento muscular

Músculos fortes ajudam a absorver o impacto das passadas e proteger joelhos, quadril, coluna. Tanto o pilates solo quanto o de estúdio podem proporcionar bom ganho de força no corpo todo. "Muitos atletas profissionais e amadores abandonam a musculação tradicional e partem para o pilates", explica Rafael Silva, profissional de educação física especializado em treinamento desportivo pela FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas) e treinador de triatlo.

Pés firmes e fortes

O pilates desenvolve a propriocepção, que é a capacidade de reconhecer a posição de uma parte do corpo sem precisar olhar para ela. Explicando bem basicamente, isso pode ajudar você a ter reflexo rápido e estabilizar o pé ao pisar em um buraco ou desnível, evitando uma torção séria, por exemplo.

Além disso, o pilates tem exercícios específicos para a musculatura do pé, o que protege de lesões. "A gente trabalha bastante com os arcos plantares distribuindo entre o longitudinal e o transversal. Com isso, o atleta cria a consciência de como utilizar melhor os músculos do pé a cada passada", esclarece Ticiane Cruz, professora de educação física da FMU, especialista em pilates pela Polestar Education (EUA) e Stott Pilates (Canadá) e autora do livro Método Pilates: Uma Nova Abordagem (Phorte Editora, 256 pág.)

Mais flexibilidade

As manobras do pilates exigem que o aluno use os ângulos máximos do corpo, ou seja, ele vai até onde consegue. Isso gera uma melhora no alongamento e a pessoa alcança maior amplitude da articulação. E muitas vezes a falta de flexibilidade em determinada musculatura pode gerar sobrecargas que levam a uma lesão.

Consciência corporal

Quem faz pilates sabe que uma das coisas mais importantes da prática é ter consciência corporal. Você precisa estar atento, principalmente, na contração do abdome ao realizar os movimentos. E isso também ajuda muita na hora da corrida, pois contrair o core durante as passadas ajuda a estabilizar o tronco e beneficia a postura como um todo.

Mais: se a pessoa não tem uma boa consciência do corpo, pode tencionar a musculatura cervical, contrair os ombros, movimentar excessivamente os braços ou fazer outros gestos desnecessários que podem gerar dores e ainda vão gastar energia desnecessariamente, prejudicando assim o desempenho da atividade.

Melhora da postura

Esse é um dos principais benefícios para qualquer pessoa que faz pilates. E um atleta com a postura cifótica, ou seja, corcunda, tem a cintura escapular encurtada, o que traz mais tensão e rigidez para o corpo, além de um maior gasto energético. Com isso, pode sentir mais dores e fadiga precoce durante o exercício.

Respiração turbinada

Não existe jeito certo ou errado de respirar durante a corrida. Porém, o grande benefício do pilates é que sua respiração na atividade tende a ficar mais longa e suave. Com isso, ocorre uma expansão da caixa torácica e um aumento da capacidade pulmonar. Ou seja, mais oxigênio vai chegar aos músculos durante a corrida --e o oxigênio é essencial para a produção de energia em atividades aeróbicas, logo, o desempenho tende a melhorar, de acordo com Caroline Bonfim, profissional de educação física especializada em treinamento esportivo pela USP (Universidade de São Paulo) e professora de pilates

Concentração total

É comum ouvir de quem pratica corrida que "a cabeça é quem manda" em determinado momento da prova ou treino. O pilates, mais uma vez, pode ser um bom aliado nisso. Durante as aulas, você aprende a focar no que está fazendo, se concentrando totalmente no movimento e na respiração. Toda essa técnica pode ser usada no começo, meio e fim da corrida. O atleta foca na atividade e o tempo passa até "mais rápido".

Corrida