Faxineira adota filhos de amiga assassinada: 'Quero que tenham um futuro'

A faxineira Valdelice Almeida, 45, adotou os três filhos de uma amiga que foi vítima de um assassinato em Conceição do Coité (BA) no ano passado. Ela conheceu Bina em 2015, quando fazia um trabalho voluntário no bairro.

Mãe de outros três filhos, Valdelice já tinha uma relação próxima dos meninos quando o crime aconteceu. Hoje, as três crianças de 7, 11 e 12 anos dividem o lar com ela, o marido de Valdelice, e outra filha mais velha. Ela sustenta a casa sozinha desde que o marido sofreu um acidente e precisou ser afastado.

A Universa, Valdelice contou sua história.

'Coração imenso'

"Conheci a Bina durante um trabalho voluntário no meu bairro em 2015. Como já passei por muita necessidade na minha vida, de até pedir esmola, coloquei na minha cabeça que ajudaria outras pessoas que também não têm condições.

Ela tinha dificuldades para criar as crianças. Eu saía no bairro pedindo ajuda, sem apoio de ONGs ou do governo. A Bina era uma pessoa com coração imenso, abençoada.

Minha amizade com ela começou a ser mais forte em 2017. Ela bebia e tentamos levá-la ao Caps (Centros de Atenção Psicossocial). A Bina conseguiu ficar 6 meses sem álcool. Foi uma época que ela estava a coisa mais linda, radiante. Pedimos roupas para ela, as coisas estavam caminhando, mas depois ela voltou a beber, e foi pior.

Eu a ajudava a cuidar das crianças. Um dos meninos só tomava banho quando eu o levava para casa, nos fins de semana. A Bina não tinha condições de cuidar deles. Já passei por muita coisa na vida, mas o menino que hoje tem 12 anos passou por coisas piores. Teve época em que ele só comia alho de manhã.

A Bina estava doente. Eu a ajudava a resolver as coisas. No dia das crianças, sempre tentava arrumar brinquedos para eles. Em 2021, ela engravidou, mas perdeu uma criança. E, no ano passado, ela foi assassinada.

Continua após a publicidade

Quando ela foi esfaqueada, o menino de 7 anos estava comigo. Tinha levado ele para cortar o cabelo. O do meio tinha ido tomar banho no açude e o mais velho ficou na casa da mãe. Quando cheguei lá, as crianças só queriam sair de lá se fosse comigo. Um deles se agarrou nas minhas pernas e então eu o trouxe para casa. Ela não tinha nenhum parente próximo, não tinha nem RG.

Depois, quando levaram Bina para Feira de Santana, no hospital, descobriram que ela estava grávida. Ela tinha morrido e o bebê também. Fizemos o velório dela e todas as despedidas. As crianças ficaram comigo e entrei na Justiça para pedir a guarda. Resolvi adotá-los porque já tinha amor para eles. Para mim, a adoção é amor.

Tenho três filhos e perdi um, há 25 anos. Fiz o parto e sumiram com o bebê. Não me explicaram o que aconteceu, se ele estava vivo ou não. Agora, ganhei mais três filhos.

Eles começaram a estudar e já sabem escrever o nome deles. É uma vida humilde, mas com honestidade. O que importa é que é com amor e dignidade. Eu não sei ler nem escrever e eles ficam me dizendo que vão ler para mim. Começo a chorar toda vez. Me emociono com isso.

Tem uma professora que me ajuda bastante com a educação deles. O mais novo teve um derrame cerebral, uma consequência dos abusos da mãe na gravidez. Ele não consegue correr e tem problemas de equilíbrio. O pessoal da escola dá muito suporte para ele.

Minha casa é pequena, mas tem espaço para todos. O meu sonho é conseguir fazer um quartinho para eles, temos até uma vaquinha online para alcançar isso. Hoje, dois dormem em um sofá-cama que fica na cozinha e o outro divide o quarto com minha outra filha. Ele é muito apegado a ela.

Continua após a publicidade

O meu desejo é que a gente tenha muita saúde para viver bem. Meus pequenos já sofreram demais e espero que eles tenham acesso às coisas. Quero conseguir um videogame para eles brincarem, terem roupas para saírem arrumadinhos.

O sonho do mais velho é conhecer o cantor Menor Nico [do hit 'Amor ou o Litrão']. Os dois se parecem muito e ele tem um CD que foi a mãe dele que comprou. Ele guarda como um tesouro.

Hoje, eu ralo muito para conquistar as coisas para os meus filhos. Faço isso porque quero que eles tenham um futuro lindo."

A Universa, a Polícia Civil da Bahia informou que continua com as investigações sobre a morte de Bina. O autor foi identificado e tem um mandado de prisão em aberto, mas é considerado foragido. Ainda não se sabe as circunstâncias e a motivação do crime.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes