PUBLICIDADE

Topo

Mães e filhos

Amamentando, Lore Improta reclama de assadura nos seios; veja como prevenir

Lore Improta conta que amamentar é momento "mágico", mas ainda sofre com dores nos seios - Arquivo pessoal
Lore Improta conta que amamentar é momento "mágico", mas ainda sofre com dores nos seios Imagem: Arquivo pessoal

Júlia Flores

De Universa

25/10/2021 12h42

Mãe de primeira viagem, a dançarina Lorena Improta publicou um desabafo nas redes sociais sobre o processo de amamentação de Liz, sua filha recém-nascida de 1 mês: "Quando fica revoltada, ela puxa o bico do peito. Mesmo sem os dentes, puxa com a banguela".

Na legenda de uma publicação em que aparece dando leite à pequena — que é fruto de seu relacionamento com o cantor Léo Santana — a dançarina de 28 anos revelou estar com seios feridos e machucados. "Estou com os peitos lascados de novo. Estão rachados e assados, porque essa menina não sai do meu peito. Mamando demais", escreveu.

Estas dificuldades são comuns no começo da amamentação, mas, segundo consultoras especializadas no tema, alguns ajustes podem ajudar a melhorar o processo. "É importante que a mulher receba orientação sobre o tema desde o início da gestação. No pré-natal, por exemplo, este assunto deveria ser debatido, além da atenção ao parto", afirma a enfermeira obstetra Françoise Novaes.

"As fissuras e lesões de mamilo acontecem principalmente por pega inadequada", explica Françoise que, abaixo, dá dicas de como melhorar a adaptação ao aleitamento materno.

Por que o bico do peito fica ferido durante a amamentação?

"Nem todas as mulheres enfrentam dificuldades no começo da amamentação", afirma Cristina Bertoni, consultora internacional de lactação e criadora de conteúdo na página Plantão Materno. "Quem está preparado para este processo tem mais chances de não machucar o peito no começo do aleitamento.

Segundo Lorena Improta, estar preparada, porém, não impediu que seus peitos ficassem machucados. A artista, que já fez cirurgia de redução de mama duas vezes, disse que um de seus maiores medos era não conseguir amamentar a filha.

Todos me falaram que era praticamente impossível eu conseguir amamentar a Liz — Lore Improta

De acordo com a enfermeira Françoise Novaes, essas assaduras são comuns porque, durante a gestação, o peito fica em repouso, sem ser estimulado e, de uma hora para a outra, passa a ser sugado de 10 a 15 vezes por dia. É essa sucção consecutiva que sensibiliza a área.

Mulheres de pele clara, como é o caso de Lorena, tendem a ser mais suscetíveis à lesão. "Quando a mãe vai amamentar, o peito fica duro pois está cheio de leite, por isso é importante que, antes de dar o peito ao bebê, ela faça o estímulo da região através de massagem. Se ela não fizer este estímulo, a área da aureola fica rígida."

Como tratar assaduras no peito

Para prevenir as assaduras no peito, como recomenda a consultora Cris Bertoni, é importante que a mãe treine a "pega" da criança: "Na pega correta, o queixo do bebê encosta na mama e automaticamente o nariz dele fica livre. O posicionamento perfeito é aquele em que o corpo da criança está alinhado com o da mãe — famosa posição 'barriga com barriga')."

Françoise frisa que, apesar de muitas pessoas acharem que amamentar é uma questão de instinto, na verdade, a técnica demanda treino para que o momento não prejudique nem a mãe, nem o filho.

Diferente do que falam sobre instinto, a amamentação requer técnica, calma e estudo - Françoise Novaes, enfermeira obstetra

As consultoras orientam estas mulheres que estão com peito machucado a evitar deixar o bico do seio em contato direito com sutiã ou outras superfícies, fazer tratamento com laserterapia e, em casos extremos, usar pomadas (que devem ser recomendadas pelos pediatras).

"Normalmente em 10 dias, e com uma boa orientação, tudo fica ajustado", acrescenta Françoise. "Amamentar não é para sentir dor. A mãe não pode deixar chegar no limite da dor, porque, desse modo, ela não vai conseguir alimentar o filho."

Mães e filhos