PUBLICIDADE

Topo

Moda

Conheça o chinelo nuvem, sapato que ganhou os quarenteners pelo conforto

Marina Santa Helena usa chinelo "nuvem"; na internet, modelo também é vendido como "ortopédico" por conta do conforto aos pés - Reprodução/Instagram
Marina Santa Helena usa chinelo "nuvem"; na internet, modelo também é vendido como "ortopédico" por conta do conforto aos pés Imagem: Reprodução/Instagram

Nathália Geraldo

De Universa

28/05/2021 04h00

Entre acompanhar as tendências de moda e o conforto, o que você escolhe? O "pillow slide", ou chinelo nuvem, que tem aparecido nas redes sociais e no catálogo de marcas nacionais e internacionais, parece reunir as duas opções.

Também vendido como "anatômico" e "ortopédico" em e-commerces -- apesar de, oficialmente, não haver indicações para que ele seja usado como tratamento de postura, por exemplo — o produto tem ares de Crocs e divide opiniões: ele é brega ou hype?

Paixão de quarentena

Nas redes sociais, o chinelo entra aos poucos para o rol de queridinhos do isolamento social, ao lado do nap dress (o vestido da soneca, que também já foi a escolha de algumas famosas, como Marilia Mendonça), e dos pijamas de luxo.

Está namorando o modelo e não sabe se vale a pena comprar? A consultora de estilo Marina Santa Helena, que arrematou um par do chinelo nuvem, conta como tem sido a experiência de uso. E dá a dica: ele pode ter, sim, um destino "mais estiloso" e invadir as ruas pós-pandemia.

Com palmilha larga e tira que abraça o colo do pé, o chinelo nuvem fisga o coração de quem busca conforto para ficar em casa. As versões de EVA tecnológico prometem maciez ao pisar e espaço suficiente para que os pés se ajustem ao calçado sem apertar.

Há duas semanas usando um par deles, Marina conta que notou outros pontos importantes: a sola é antiderrapante e ele fica mais confortável em uma numeração maior.

"Minha encomenda chegou com a cor errada e um número maior do que pedi, mas isso me beneficiou. Vi algumas pessoas comentando na internet que ele estava apertando em cima do pé e gerando calo na região", conta. "O fato de não escorregar também é muito bom. A gente está em casa, fazendo tarefas domésticas, lavando banheiro, e acaba pisando em áreas molhadas", argumenta.

Muita gente veio falar que estava namorando o produto e tomou coragem para comprar depois que me viu usando. O Instagram tem esse impacto na decisão de compra das pessoas, principalmente neste momento

A volta do "chinelo do tiozão"?

Para Marina, o interesse pelo modelo tem tudo a ver com a busca por peças gostosas de usar em tempos de home office. A tendência, no entanto, é anterior ao período de isolamento social. "O 'chinelão do tiozão' já estava em alta, por causa do retorno aos anos 90 que observamos na moda. Os sliders convencionais e as papetes vieram também. No isolamento, ganha força porque queremos conforto", diz.

No pós-pandemia, ela avalia, o chinelinho nuvem pode ir às ruas e ampliar o leque de escolhas de looks. "O DJ Questlove usou um Crocs dourado na cerimônia do Oscar deste ano. Tem gente que acrescenta estilo a esses itens confortáveis, até quando parecem meio feios. Ele foi irônico ao usá-lo assim, porque já é mesmo um símbolo do momento de isolamento social", argumenta.

Marcas e formatos de chinelo nuvem

Há modelos importados disponíveis em lojas virtuais, como na Americanas, ou ainda opções nacionais — as lojas Pé de Algodão e The Cool Bags (fotos abaixo) oferecem cores variadas. Os preços vão de R$ 60 a R$ 140, em média.

Moda