PUBLICIDADE

Topo

Sexo

Deslize sem medo: um guia sobre lubrificantes para melhorar sua vida sexual

Há muitas possibilidades de uso de lubrificante no sexo - massagem, penetração mais confortável, sexo oral com sabor diferente.... - Irina Shatilova/Getty Images/iStockphoto
Há muitas possibilidades de uso de lubrificante no sexo - massagem, penetração mais confortável, sexo oral com sabor diferente.... Imagem: Irina Shatilova/Getty Images/iStockphoto

Manuela Aquino

Colaboração para Universa

21/02/2021 04h00

Lubrificante: tá aí um produto que muita gente não usa, ou só compre quando vai fazer sexo anal. Mas há muitas possibilidades de uso do produto no sexo - massagem, penetração mais confortável, sexo oral com sabor diferente.

Além disso, pode ajudar na penetração em períodos em que a mulher tem menos lubrificação natural, como pós-gravidez e menopausa. Então, vem saber mais dele.

O que define a compra em primeiro lugar

No mundo dos lubrificantes se divide em dois tipos com relação à composição. Um dos tipos é o à base de água, compatível com o uso de camisinha. "A desvantagem dele é que a água da composição seca em alguns minutos secar e talvez precise reaplicar durante a relação", diz a ginecologista Lilian Fiorelli, especialista em Sexualidade Feminina e Uroginecologia pela USP. Os à base de silicone tem maior durabilidade, ou seja, você transa mais tempo e o efeito molhado continua ali. Este também é compatível com o uso da camisinha.

Quero dicas, por favor

Entre esses dois tipos, há uma variedade de cores, cheiros e sabores e aí você escolhe de acordo com seu astral. Só que na escolha desses diferentes, precisa tomar cuidado para possíveis reações alérgicas. Sabe aqueles de "champanhe com morango" ou "chocolate com pimenta"? Melhor testar, pois têm corante na fórmula. "Você pode pegar uma quantidade bem pequena com a ponta do dedo, passa em um cantinho da vulva e ver se há alguma reação como ardência ou coceira", ensina a ginecologista Evelyn Prete, de São Paulo.

Teste feito, hora de brincar

O produtinho em questão pode ajudar não só na penetração, como também fazer parte das preliminares. "É bem legal passar o lubrificante no corpo para a massagem, eu uso muito quando faço tântrica, e aproveite esse momento para vocês explorarem seus corpos. É erótico e confortável sem aquela sensação de óleos ou cremes", diz a sexóloga Vanessa Inhesta, de São Paulo. Ela prefere os à base água para a função.

Há no mercado também lubrificantes vibradores que dão uma sensação de "leves pontadinhas". Esses são, segundo ela, bacanas para sexo oral ou para brincar na área. "Não indico para penetração anal, mas um bom beijo grego é bem-vindo. Bom para quem faz, melhor ainda quem recebe", garante.

Soluções caseiras não!
Você já pode ter ouvido essa dica por aí, mas as especialistas ouvidas por Universa dizem que é melhor evitar usar o óleo de cozinha ou o hidratante corporal. Eles podem alterar flora vaginal, modificar ph da região e aumentar risco de infecções e reações alérgica, dor ou doenças.

Há uma exceção que é o óleo de coco. "Mas o uso da camisinha fica inviável pois danifica sua porosidade e prejudica eficácia na prevenção de gravidez e doenças sexualmente transmissíveis" diz Lilian Fiorelli. Então, só em relacionamentos fixos, com exames em dia com liberação médica do uso do preservativo. Por falar em emergência, tem gente que usa, ali no afã, saliva. Quem nunca? Mas seca mais rápido do que os de água, além de não ser muito higiênico.

Quando a lubrificação não vem
Em alguns momentos da nossa vida podemos ter pouca lubrificação, especialmente pela queda hormonal. "Na menopausa há a queda do estrogênio, produzido pelo ovário que para de funcionar. Com isso diminui a circulação sanguínea na região do períneo e modifica a pele da mucosa da vagina. A relação sexual pode causar pequenos cortes, doer, dependendo da mulher, pois algumas passam pela menopausa como se nada tivesse acontecido", diz Lilian Fiorelli.

Depois da gravidez, também há um aumento da produção de prolactina e uma baita queda dos hormônios que estavam altos (testosterona e estrogênio) na gestação causando menor lubrificação. "Nos primeiros meses de gestação, por isso, pode sentir menos libido, lubrificação e um pouco de dor na penetração", fala a médica. Uso de anticoncepcionais, antidepressivos, além de questões como candidíase de repetição também.

Nesses momentos, lubrificantes são mais que bem-vindos. Mas vale também repensar alguns hábitos sexuais. De repente é só uma questão de ficar mais nas preliminares pois o seu tempo de excitação está maior. Só não pode seguir a relação sexual com dor. Se o incomodo persistir é preciso investigar as causas: sexo com dor não é normal.

Sexo